Relatório da CPI dos cartões corporativos deve ser votado nesta terça-feira

Para presidente da comissão, não indiciamento de envolvidos com "dossiê" é frustrante; para relator, ministros enganaram-se

SÃO PAULO – A CPI dos cartões corporativos pode ter seu fim com votação do relatório final nesta terça-feira (3). Para o presidente da comissão, ausência de indiciamento de autoridades envolvidas é frustrante.

“Para mim, é uma derrota. Não vejo como não indiciar a Dilma, por exemplo”, afirma Marisa Serrano (PSDB). Por parte da oposição, sobram reclamações em relação à não-inclusão das investigações sobre o “dossiê” – com gastos realizados pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso – no relatório do Deputado Luiz Sérgio.

Relatório Final

A versão final do documento isenta os ministros do atual governo de irregularidades no uso dos cartões corporativos, uma vez que teriam ressarcido os cofres públicos, após cometerem o que foi qualificado de equívoco ou confusão com cartões pessoais.

PUBLICIDADE

No caso de ministros do governo anterior, como o antigo titular da pasta da educação, Paulo Renato, o relator sugere que seja feita análise dos gastos por órgãos competentes, uma vez que irregularidades teriam sido diagnosticadas.

Conclusão

Afirmando ter adotado posição isenta, a conclusão do relator é que “[os problemas] referem-se, na maioria dos casos, a erros ou enganos simples e remediáveis.”. Todavia, segundo Serrano, faltou aos governistas o intuito de fazer um serviço investigativo sério.