Relator adia votação de pedido de cassação contra Renan Calheiros

Se for transferida para a próxima semana, a votação irá ao plenário com Renan de volta a presidência do Senado

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A oposição vai forçar o plenário do Senado a adiar a votação do processo de cassação do senador Renan Calheiros marcada para a próxima quinta-feira (22) no plenário da Casa.

Isto porque o senador Arthur Virgílio, relator do processo na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), disse nesta segunda-feira (20) ao presidente do órgão, Marco Maciel, que não vai apresentar seu parecer à comissão esta semana.

Neste processo, Renan é acusado de usar “laranjas” na compra de duas emissoras de rádio e de um jornal em Alagoas. As informações foram passadas pelo usineiro João Lyra, apontado como sócio do senador no suposto esquema.

Sem manobras

PUBLICIDADE

Virgílio negou que o adiamento do parecer seja uma manobra para atrasar a votação da proposta de emenda à Constituição que prorroga até 2011 a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira).

“Não tenho nada a ver com o calendário do governo”, disse o senador. “Tenho de seguir minha consciência.” A CCJ votaria a cassação do senador na próxima quarta-feira, o que permitiria ao processo ser apreciado pelo plenário do Senado no dia seguinte.

De volta ao cargo

A licença de Renan Calheiros da Presidência do Senado termina na próxima segunda-feira. Se a votação for transferida para a próxima semana, o processo de cassação irá ao plenário com Renan exercendo a presidência, a menos que ele renuncie ao cargo ou renove a licença.