Acompanhe

Reforma da Previdência: Câmara instala comissão especial para discutir proposta; acompanhe ao vivo

Colegiado será formado por 49 titulares e igual número de suplentes, e terá a presidência do deputado Marcelo Ramos (PR-AM). A relatoria ficou com Samuel Moreira (PSDB-SP)

Brasília – Plenário da Câmara dos Deputados, durante pronunciamento do Presidente Temer. Foto José Cruz/Agência Brasil

SÃO PAULO – Após a proposta de reforma da Previdência ser aprovada na noite de terça-feira na CCJC (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania), a Câmara dos Deputados instala, a partir das 11h (horário de Brasília) desta quinta-feira (25), comissão especial que analisará o texto no mérito. Acompanhe ao vivo pelo vídeo acima.

O colegiado será formado por 49 titulares e igual número de suplentes, respeitando a proporcionalidade das bancadas.

ceprev
Fonte: Câmara dos Deputados

PUBLICIDADE

Nesta etapa da tramitação da proposta, deputados poderão apresentar emendas e discutir com maior amplitude modificações no texto original. É na comissão especial que o risco de desidratação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma corre maiores riscos de sofrer desidratação.

Mais cedo, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou que os deputados Marcelo Ramos (PR-AM) e Samuel Moreira (PSDB-SP) serão, respectivamente, presidente e relator da proposta de reforma da Previdência em comissão especial na casa legislativa.

Nos bastidores, o nome de Marcelo Ramos é conhecido pela boa capacidade de articulação política. Ele será o responsável pela condução dos trabalhos, por decisões sobre requerimentos e o próprio calendário. Por ser um nome do chamado “centrão”, sua escolha para o posto indica uma maior aproximação do grupo em relação à reforma previdenciária.

Já Samuel Moreira é lembrado pela experiência. Chefe da Casa Civil do governo de São Paulo durante a administração Geraldo Alckmin (PSDB) e ex-presidente da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), ele tem perfil moderado e demonstra convicção sobre a necessidade de se mudar o atual sistema de aposentadorias.

O tucano terá a missão de conduzir negociações com parlamentares, realizando concessões e costurando apoios. Entre seus desafios estão evitar o risco de significativa desidratação do texto original encaminhado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o distanciamento da economia de R$ 1 trilhão em dez anos, pedida pela equipe econômica.

Na avaliação de analistas políticos ouvidos pelo InfoMoney, as indicações são positivas para o andamento da reforma no parlamento por atrair o “centrão” para o processo e colocar mais um experiente defensor da reforma nas negociações.

PUBLICIDADE

Insira seu e-mail abaixo e receba com exclusividade o Barômetro do Poder, um estudo mensal do InfoMoney com avaliações e projeções das principais casas de análise política do país: