Próximo Congresso deve dar prioridade em reformas política e tributária

Avaliação foi feita pelos líderes partidários, que colocam esses assuntos como fundamentais já no início dos trabalhos

SÃO PAULO – O próximo Congresso deverá ser prioritariamente mobilizado para trabalhar entorno de assuntos como as reformas política e tributária no País.

A avaliação foi feita pelos líderes partidários, que colocam esses assuntos como peças fundamentais já no início dos trabalhos dos novos parlamentares, conforme informações da Agência Câmara.

“Ainda não houve consenso para esses assuntos. Eles devem ser a pauta número um e número dois da próxima legislatura”, afirma o líder do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves (RN).

PUBLICIDADE

Tributos
Atualmente, a Câmara dos Deputados analisa o relatório do deputado Sandro Mabel (PR-GO) sobre reforma tributária, embora ainda não tenha sido votado. 

Para o líder do Psol, deputado Ivan Valente (SP), é preciso promover a “justiça fiscal” no Brasil. “A incidência de tributos deveria ser sobre a propriedade e a riqueza, e não sobre o consumo e a renda. O sujeito mais rico paga o mesmo imposto que o cidadão médio por uma dúzia de ovos”, diz.

Política
Para muitos líderes, o primeiro passo para a reforma política já foi dado com a aprovação da Lei da Ficha Limpa, projeto de maior destaque da atual legislatura.

Entretanto, temas delicados como financiamento privado de campanhas e a revisão do sistema eleitoral incomodam muitos parlamentares, como o líder do Psol, deputado Ivan Valente, e o líder do PV, deputado Edson Duarte (BA).

O vice-líder do DEM, José Carlos Aleluia (BA), disse que as reformas política e tributária precisam ser democráticas e não podem privilegiar partidos pequenos e sem representatividade.

Assuntos
A lista de pendências da Câmara para a próxima legislatura inclui outros temas, como a regulamentação do funcionamento dos meios de comunicação e os assuntos ambientais.