Leonardo Quintão

“Prioridade é unificar o PMDB”, diz novo líder; deputado se reunirá com Temer nesta tarde

Leonardo Quintão preferiu adotar postura mais cautelosa sobre o impeachment de Dilma, em uma tentativa de sinalizar para a ala derrotada

SÃO PAULO – Após ter sua chapa para a comissão especial do impeachment derrotada na véspera, o governo sofreu mais um importante revés nesta quarta-feira (9), com a queda do líder do PMDB da Câmara – Leonardo Picciani (PMDB-RJ), aliado de Dilma Rousseff na casa e com quem a última reforma ministerial foi costurada. Em seu lugar, assumiu o posto de comandante de um partido dividido entre favoráveis e contrários ao impeachment presidencial, Leonardo Quintão (PMDB-MG). Embora tenha emergido do grupo que pede a saída de Dilma, o parlamentar diz que não tem posição definida sobre o assunto e sua missão será unificar a sigla.

“Qualquer decisão será tomada democraticamente. O partido será conduzido de maneira democrática”, afirmou o novo líder do partido em conversa com jornalistas. Quintão substitui Picciani, que vinha sofrendo pressão da ala opositora dentro do partido. A situação chegou ao nível máximo de desgaste quando o deputado carioca escolheu nomear apenas colegas contrários ao impeachment para a cota do partido na chapa oficial para a comissão especial que irá analisar o assunto.

A ala descontente do PMDB decidiu compor uma chapa alternativa, nomeando representantes favoráveis ao impeachment de Dilma, e conseguiu sair vitoriosa em votação secreta ocorrida no plenário da Câmara ontem, pelo placar de 272 a 199. A decisão, no entanto, foi suspensa pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, até que o plenário da corte tome uma decisão sobre o rito adotado pelo presidente da casa legislativa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

PUBLICIDADE

As movimentações do grupo opositor dentro do partido da base não pararam por aí. Nesta manhã, houve uma iniciativa para coletas das assinaturas necessárias para a mudança na liderança. Os dissidentes conseguiram apoio dos 35 dos 66 deputados federais da sigla e anunciaram Quintão como novo representante. Ele, contudo, preferiu adotar postura mais cautelosa sobre o impeachment, em uma tentativa de sinalizar para a ala derrotada. “Não tenho posição para lado A ou B do impeachment”, disse o parlamentar mineiro. A ordem da vez é promover esforços para unificar o partido.

O deputado informou ainda que se reunirá com o vice-presidente da República e presidente do PMDB, Michel Temer, nesta tarde.

É hora ou não é de comprar ações da Petrobras? Veja essa análise especial antes de decidir: