Presidente do PL diz que “fará uma festa” para receber Tarcísio de Freitas no partido

Valdemar Costa Neto, presidente do PL, partido de Jair Bolsonaro, diz que recebeu o sinal verde do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos): "Ele me disse que vem antes das eleições"

Fábio Matos

Governador de SP, Tarcísio de Freitas participa do evento 'Fórum Político', realizado pela XP Investimentos em São Paulo (Thiago Viana)

Publicidade

Embora o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), venha negando publicamente que esteja de saída de seu atual partido, o presidente nacional do PL, Valdemar da Costa Neto, já se prepara para estender o tapete vermelho a um dos nomes cotados para a disputa pela Presidência da República em 2026.

Em entrevista ao jornal O Globo, Valdemar afirmou que a migração de Tarcísio do Republicanos para o PL – mesmo partido do ex-presidente Jair Bolsonaro – já está bem encaminhada e deve ser sacramentada até julho, ainda antes das eleições municipais deste ano.

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

“Estive na semana passada, em um jantar com o [senador] Rogério Marinho [PL-RN] e com o governador Tarcísio. Ele [Tarcísio] me disse que vem antes das eleições, acredito que até julho. O PL fará uma festa para recebê-lo”, afirmou Valdemar.

A informação sobre a ida de Tarcísio para o partido de Bolsonaro foi publicada inicialmente pelo jornal O Estado de S. Paulo. Até o momento, o governador paulista não se manifestou oficialmente.

Apesar de ter resistido até então, nos bastidores o que se comenta é o que o próprio Tarcísio teria se convencido de que o seu destino, inevitavelmente, será o PL, em função de sua ligação umbilical com Jair Bolsonaro.

Continua depois da publicidade

O governador de São Paulo despontou para a política graças ao convite de Bolsonaro para que assumisse o Ministério da Infraestrutura, em 2019. Em 2022, por uma escolha do então presidente, Tarcísio disputou sua primeira eleição, venceu Fernando Haddad (PT) e se tornou governador de São Paulo.

Influência na disputa pela presidência da Câmara

A saída de Tarcísio do Republicanos rumo ao PL pode ter influência na sucessão do atual presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), em fevereiro do ano que vem.

Um dos postulantes ao cargo de Lira é o deputado federal Marcos Pereira (SP), presidente nacional do Republicanos. O dirigente estaria disposto a aceitar a saída de Tarcísio, sem maiores contestações, desde que recebesse o apoio do PL (maior bancada da Câmara) e dos deputados bolsonaristas na eleição para a Mesa Diretora da Casa.

Continua depois da publicidade

Possível “herdeiro” do bolsonarismo

Tarcísio de Freitas é um dos cotados como como possível candidato à Presidência da República nas eleições de 2026. Ele integra o campo conservador e pode se credenciar a herdar o espólio político de Bolsonaro, que também é disputado por nomes como a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), filho do ex-presidente, e os governadores de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), e do Paraná, Ratinho Júnior (PSD).

Os governadores de São Paulo e Goiás prestigiaram Bolsonaro no ato a favor do ex-presidente que reuniu centenas de milhares de pessoas na Avenida Paulista, em São Paulo, no dia 25 de fevereiro – apenas Tarcísio discursou.

Além da possibilidade de disputar o Planalto, Tarcísio pode se candidatar a um eventual segundo mandato como governador de São Paulo em 2026. 

Continua depois da publicidade

Leia também:

Fábio Matos

Jornalista formado pela Cásper Líbero, é pós-graduado em marketing político e propaganda eleitoral pela USP. Trabalhou no site da ESPN, pelo qual foi à China para cobrir a Olimpíada de Pequim, em 2008. Teve passagens por Metrópoles, O Antagonista, iG e Terra, cobrindo política e economia. Como assessor de imprensa, atuou na Câmara dos Deputados e no Ministério da Cultura. É autor dos livros “Dias: a Vida do Maior Jogador do São Paulo nos Anos 1960” e “20 Jogos Eternos do São Paulo”