Cobiçado por PP e PL, Tarcísio diz que fica no Republicanos: “Estou bem aqui”

Em "giro" por Brasília, governador de São Paulo despista sobre interesse de PL e PP e garante permanência no Republicanos, pelo menos por enquanto

Fábio Matos

Governador de SP, Tarcísio de Freitas participa do evento 'Fórum Político', realizado pela XP Investimentos em São Paulo (Thiago Viana)

Publicidade

Apontado como um dos nomes cotados para liderar a oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de 2026, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, negou que esteja de saída do Republicanos – pelo menos neste momento.

As declarações do governador paulista foram dadas na quarta-feira (13), em Brasília, após uma reunião com o presidente nacional do Republicanos, o deputado Marcos Pereira (SP), e outros parlamentares da legenda.

“Estou no Republicanos. Estou bem aqui. Estamos planejando o futuro. Não tem nenhum movimento de mudança”, despistou Tarcísio em entrevista a jornalistas. O governador de São Paulo vem sendo cobiçado por partidos como o PL (do ex-presidente Jair Bolsonaro) e o PP. Mais cedo, o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), chegou a dizer que seria “um sonho” para o partido contar com Tarcísio em suas fileiras.

Continua depois da publicidade

Sem pressa para 2026

Tarcísio conta com o calendário a seu favor nas discussões sobre uma eventual saída do Republicanos. De acordo com o calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), vereadores e deputados que desejam concorrer a algum cargo nas eleições de 2024 têm até o dia 5 de abril para trocar de partido sem prejuízo de seus mandatos. No caso dos governadores de estado – como Tarcísio –, assim como senadores e prefeitos, essa troca pode ser feita a qualquer tempo.

Ocorre que Tarcísio não disputará nenhum cargo eletivo em 2024 (ele está no meio de seu mandato como governador de São Paulo). Em 2026, há pelo menos duas alternativas para o ex-ministro da Infraestrutura de Jair Bolsonaro: concorrer à reeleição ao Palácio dos Bandeirantes ou disputar a Presidência da República.

Republicanos e sucessão na Câmara

Uma eventual saída de Tarcísio de Freitas do Republicanos faria com que o partido se tornasse ainda mais “governista”. Atualmente, a legenda integra, pelo menos tecnicamente, a base de apoio ao governo Lula. O partido conta com um representante na Esplanada dos Ministérios: o deputado Silvio Costa Filho (PE), que ocupa a pasta dos Portos e Aeroportos.

Continua depois da publicidade

A presença de Tarcísio, um nome muito ligado ao bolsonarismo e cotado para concorrer à sucessão de Lula em 2026, segura um pouco o “governismo” do Republicanos, que oficialmente diz seguir uma posição de “independência” nas votações no Congresso Nacional.

O presidente do partido, Marcos Pereira, é um dos pré-candidatos à presidência da Câmara – a sucessão de Arthur Lira (PP-AL) ocorre em fevereiro de 2025. Além dele, são especulados os nomes dos deputados Elmar Nascimento (União-BA), apontado como o preferido de Lira, e Antônio Brito (PSD-BA).

Fábio Matos

Jornalista formado pela Cásper Líbero, é pós-graduado em marketing político e propaganda eleitoral pela USP. Trabalhou no site da ESPN, pelo qual foi à China para cobrir a Olimpíada de Pequim, em 2008. Teve passagens por Metrópoles, O Antagonista, iG e Terra, cobrindo política e economia. Como assessor de imprensa, atuou na Câmara dos Deputados e no Ministério da Cultura. É autor dos livros “Dias: a Vida do Maior Jogador do São Paulo nos Anos 1960” e “20 Jogos Eternos do São Paulo”