Pesquisador da FGV defende reformulação das bancadas na Câmara dos Deputados

Para pesquisador, alteração diminuiria gastos públicos e aumentaria comprometimento dos parlamentares

SÃO PAULO – O pesquisador da FGV (Fundação Getulio Vargas), Octavio Amorim Neto, defendeu, durante seminário no auditório do ILB (Instituto Legislativo Brasileiro), na última terça-feira (6), uma mudança no atual modelo de composição das bancadas na Câmara dos Deputados.

Para ele, isso daria mais representatividade política aos partidos e reduziria a fragmentação legislativa decorrente das competições intrapartidárias.

Proposta

Pela proposta do professor, os 12 estados brasileiros mais populosos seriam divididos em distritos eleitorais, sendo que cada um poderia eleger um número determinado de deputados, sem que houvesse alteração na representatividade de cada estado na Câmara.

PUBLICIDADE

De acordo com a Agência Senado, a ideia está fundamentada no estudo “Redesenhando o mapa eleitoral do Brasil: Uma proposta de reforma política incremental”, elaborado por pesquisadores da FGV e do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Neto destacou que, entre os benefícios da proposta, estão a redução dos gastos públicos e de campanha, além do maior comprometimento dos parlamentares com o eleitorado. Uma das características dessa nova composição seria a maior diversidade das representações de cada estado.

O consultor-geral-adjunto do Senado, Fernando Meneguin, elogiou a proposta e lembrou que é provável que o estudo seja aperfeiçoado e enviado ao Congresso como sugestão para alterações nas regras eleitorais.