Pesquisa revela que preço não é fator determinante para brasileiro não ler

Segundo, fator foi citado por apenas 7% dos entrevistados, falta de tempo e interesse foram os campeões

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – De acordo com dados apurados pela pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pelo Instituto Pró-Livro ao Ibope Inteligência, cerca de 77 milhões de brasileiros não lêem livros e o preço não é fator determinante.

“As pessoas têm livros de graça nas bibliotecas, contudo, a procura por estes estabelecimentos é baixíssima. A maioria que os freqüenta vão para estudar. O brasileiro não lê por falta de tempo e interesse”, explica a diretora de projetos do Instituto, Zoara Saila.

Segundo a diretora, a dificuldade de acesso foi citada por apenas 7% dos entrevistados. Os motivos mais apontados para a não leitura foram falta de tempo (30%) e de interesse (20%).

Hábitos

Aprenda a investir na bolsa

Ainda conforme o estudo, o brasileiro lê, em média, 4,7 livros por ano, sendo os jovens e as mulheres os principais leitores. Na comparação com os homens, elas lêem 5,3 livros por ano contra 4,1 deles. Já quando se considera o fator faixa etária, as crianças com idades entre cinco e dez anos são as campeãs, com 8,6 livros anuais.

Apesar dessa média de leitura, o consumidor nacional não compra muitos livros, 1,1 por ano, e também não faz gasta muito com essas poucas aquisições, em média, R$ 30 anuais.

Entre os mais adquiridos, estão a Bíblia, livros de poesia e infantis, informa Zoara.