Política

Paulo Guedes bate boca com deputados e rebate com ironia comparação ao Chile: “A Venezuela está melhor”

Ministro entra em confronto com opositores ainda durante sua exposição inicial sobre a reforma da Previdência e clima esquenta na CCJ 

Paulo Guedes
(Jefferson Rudy/Agência Senado)

SÃO PAULO – O clima de tranquilidade na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania) da Câmara dos Deputados durou menos de uma hora na audiência pública com o ministro Paulo Guedes (Economia) sobre a reforma da Previdência, na tarde desta quarta-feira (3).

Enquanto fazia sua exposição inicial sobre os problemas do atual sistema de aposentadorias e explicava os caminhos apontados pela PEC (Proposta de Emenda à Constituição) encaminhada pelo governo, o ministro e deputados de oposição trocaram críticas e ironias.

O estopim para o confronto foram aplausos de deputados à fala do ministro sobre o risco de não se reformar o atual sistema previdenciário e iniciar uma transição ao regime de capitalização, em que o trabalhador contribui para a própria aposentadoria.

PUBLICIDADE

“Se vocês quiserem, embarquem seus filhos no avião em que estão. Vão acabar como no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Norte, em Goiás, em Minas Gerais”, disse o ministro, interrompido por aplausos. A oposição reagiu e aproveitou o momento para lançar questionamentos.

Foi quando o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) pergunta sobre o modelo de capitalização chileno, frequentemente criticado pelo baixo valor das aposentadorias concedidas aos contribuintes, em contraste com a resolução no âmbito fiscal.

“Chile: US$ 26 mil de renda per capita, quase o dobro do Brasil. Acho que a Venezuela está melhor. Venezuela está bem melhor”, respondeu o ministro. O tom acirrou os ânimos dos deputados e deu início a um bate-boca com parlamentares opositores que durou pouco menos de 5 minutos.

“Fale mais alto do que eu”, disse o ministro ao deputado Henrique Fontana (PT-RS).

“Um pouco mais. A palavra é dos senhores, falem um pouco mais alto”, continuou.

Leia mais: O que o Chile tem a ensinar ao Brasil sobre a reforma da Previdência?

PUBLICIDADE

Com a confusão generalizada – que incluiu deputados homens mandando colegas mulheres “calarem a boca” e outras mulheres saindo em defesa das deputadas atingidas -, Guedes acalmou os ânimos e terminou pedindo desculpas.

“Me aconselharam a não reagir, mas tentei ser atencioso. Sou muito respeitoso. Cometi o erro de interagir. Assim que eu interagi, vocês transformaram em outra coisa”, afirmou.

“Meu papel é relativamente simples, quem vai julgar são os senhores. Com a maior franqueza, não cabe a mim entrar no debate político. Tenho que dar explicações e não preciso me exaltar, me desculpe”.

(com Agência Estado)

Garanta uma aposentadoria confortável investindo. Abra uma conta gratuita na XP