Parcela de brasileiros que sentem efeitos da crise sobe para 37%

Em dezembro do ano passado, percentual era de 29%; medo ser afetado pela crise também cresceu

SÃO PAULO – O percentual de brasileiros que já sentem os efeitos da crise no dia a dia aumentou 8 pontos percentuais em três meses, saindo de 29% em dezembro do ano passado para 37% em março deste ano.

Em contrapartida, o número daqueles que ouvem falar da crise, mas não percebem seus efeitos em nenhuma atividade e nem os sente pessoalmente, caiu de 37%, no último mês do ano passado, para 24% em março.

Os números fazem parte da pesquisa CNI-Ibope, divulgada nesta sexta-feira (20), que trata da evolução da opinião dos brasileiros sobre a crise financeira internacional e seus efeitos.

PUBLICIDADE

Ainda assim, o percentual de brasileiros que sabem dos efeitos da crise em algumas atividades, mas não sentem seus efeitos diretamente, apresentou aumento no período, de 24% para 30%.

Medo da crise

Quanto ao medo de ser afetado pela crise, 28% se mostram com muito medo, 41%, com um pouco de medo, e 23% declararam não sentir qualquer medo de sofrer com os efeitos da crise.

O curioso, segundo a pesquisa, é que o medo da crise atinge praticamente da mesma forma todos os segmentos socioeconômicos.

No geral, o estudo mostra que, mesmo que a maioria da população (83%) considere a crise grave ou muito grave, uma grande parcela (69%) acredita que o Brasil está mais preparado para a crise e que o país será pouco prejudicado (44%), como mostra a tabela a seguir:

A percepção do brasileiro sobre a crise
em dezembro e março
PerguntaDez/ 08Jan/ 09
Sabem sobre a crise75%81%
Consideram a crise muito grave ou grave84%83%
Acham que o Brasil será pouco prejudicado46%44%
Brasil está mais preparado para a crise43%69%
Muito ou pouco medo de ser afetado65%69%
Já sentem os efeitos no dia-a-dia29%37%
Consideram esta crise mais grave que outras67%69%

Fonte: CNI-Ibope