Política

Para ministro, ‘não é o momento’ de propor a recriação da CPMF

Na conversa, o ministro disse, porém, que essa é a sua posição pessoal e que poderá apoiar o imposto caso Temer decida apresentá-lo ao Congresso

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, se mostrou nesta segunda-feira (16) contra a recriação temporária da CPMF, proposta cogitada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, com o objetivo de equilibrar a dívida pública. Em entrevista à Rádio Metrópole, de Salvador, o peemedebista avaliou que “não é o momento” para que a recriação do tributo seja proposta pelo Palácio do Planalto.

Na conversa, o ministro disse, porém, que essa é a sua posição pessoal e que poderá apoiar o imposto caso o presidente interno Michel Temer decida apresentá-lo ao Congresso Nacional. “Eu acho que ela (CPMF) não deve transitar agora. Não é o momento, mas esse é um posicionamento pessoal. Se for proposto, deixa de ser convicção pessoal e passa a ser posição de governo. Ou eu saio ou vou defender a aprovação do processo”, disse.

Geddel disse ainda que Temer assume o cargo em um cenário de caos e afirma ser “muito pouco provável” que a presidente afastada Dilma Rousseff retorne ao Palácio do Planalto. Ele afirmou não crer haver condições de governabilidade para que se admita a hipótese do retorno da petista ao cargo na análise final do processo de impeachment no Senado Federal.

Aprenda a investir na bolsa