AO VIVO Renda extra imobiliária: Como montar uma carteira vencedora de FIIs; assista

Renda extra imobiliária: Como montar uma carteira vencedora de FIIs; assista

Otimismo do consumidor fica estável após seis meses de queda, diz CNI

Índice de Expectativa do Consumidor registra leve alta ante abril, de 0,1%; no confronto anual, contudo, houve queda

SÃO PAULO – Em maio, o otimismo do consumidor brasileiro interrompeu a trajetória de quedas consecutivas na comparação mensal, atingindo 112,1 pontos.

De acordo com o Inec (Índice Nacional de Expectativa do Consumidor), divulgado nesta segunda-feira (30) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), o índice ficou praticamente estável, ao registrar leve alta de 0,1%, revertendo o decréscimo que vinha ocorrendo desde outubro de 2010.

Entre maio deste ano e o mesmo mês do ano passado, no entanto, houve queda de 2,2%. A pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 16 de maio, com 2.002 pessoas.

PUBLICIDADE

Mais quedas do que altas
A pesquisa mostra que quatro dos seis indicadores que compõem o índice apresentaram queda na comparação com abril: perspectivas de inflação (-0,7%), situação financeira (-0,9%), endividamento (-0,9%) e compras de bens de maior valor (-0,1%).

Por outro lado, as perspectivas em relação à evolução do emprego cresceram 2,1% e as expectativas em relação à renda pessoal aumentaram 1,1% frente ao mês anterior.

Os índices que obtiveram maior pontuação foram os da expectativa de desemprego (132,1 pontos), de situação financeira (112,8 pontos) e o de expectativa de renda pessoal (112,5 pontos). Os piores colocados foram os de expectativa de inflação (100,1 pontos), de endividamento (104,9) e de compras de bens de maior valor (112,2 pontos).