Orçamento de 2010 da União propõe aumento de mais de 8% no salário mínimo

Previsão mais cautelosa do planalto para o PIB do próximo ano é de crescimento de 4,5%; novo mínimo será de R$ 506

SÃO PAULO – Propondo um aumento de 8,79% no salário mínimo, o ministro do planejamento, Paulo Bernardo, entregou ao Congresso Nacional, nesta segunda-feira (31), o Orçamento da União para 2010.

Segundo a proposta, o salário mínimo em todo o território nacional passaria dos atuais R$ 465,00 para R$ 505,90, podendo ainda sofrer reajustes até o final de 2009 de acordo com a variação da inflação. De acordo com o ministro, o governo também deverá arredondar o número para cima para facilitar os saques.

Projeções para 2010

No texto, o governo revela sua projeção para o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) em 2010. Segundo as estimativas do Planalto, o País irá crescer 4,5% no próximo ano.

PUBLICIDADE

“Ficamos tentados a subir para 5%, mas por prudência, decidimos manter em 4,5%. Esperamos um cenário de receita melhor para Estados e municípios. Estamos convencidos de que o Brasil já passou pela crise, vamos chegar ao final do ano com a média de crescimento de 4%”, disse o ministro.

O orçamento ainda aponta uma previsão de R$ 853 bilhões para a receita primária nacional e R$ 802 bilhões para as despesas primárias. No tocante aos investimentos, os foram reservados R$ 46 bilhões para 2010, enquanto o orçamento previsto para as estatais é de R$ 97 bilhões.

Por fim, Paulo Bernardo diz que o governo não pretende reduzir recursos para a área social, especialmente em programas como o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida, o programa de estímulo ao setor imobiliário brasileiro.