Sentimentos conflitantes

Nobel de Economia “detona” Trump, mas concorda com ele em um ponto: na economia

Em sua coluna chamada "Trump está certo sobre economia", Krugman afirma que o empresário está quebrando com a ortodoxia republicana e apresentando propostas positivas - mas deixa claro que não endossa a candidatura do republicano

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O laureado com o Nobel de Economia Paul Krugman não esconde que não gosta nem um pouco do pré-candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump. Em entrevista para a Bloomberg TV, ele não economizou críticas ao empresário, chamando-o de beligerante, racista e sem um pingo de compaixão com os menos afortunados. “É exatamente o tipo de pessoa que forma parte da base republicana e com a qual a base republicana se identifica”, afirmou o economista.

Porém, há um ponto de convergência entre ele e Trump, de acordo com o próprio Nobel em artigo escrito para o jornal americano New York Times. Em sua coluna chamada “Trump está certo sobre economia”, Krugman afirma que o empresário está quebrando com a ortodoxia republicana. 

Segundo o Nobel, o também pré-candidato republicano Jeb Bush passou a atacar Trump não pelo racismo ou xenofobia, mas por ser um “falso conservador”, em meio à sua intenção de aumentar os impostos sobre os ricos e seus discursos sobre o sistema universal de saúde.

PUBLICIDADE

Assim, afirma Krugman em seu artigo, também mencionando o último concorrente à Casa Branca pelo partido republicano Mit Romney, Bush ataca Trump “pelo que ele está certo”. Assim, ele se desvia das ideias do Partido Republicano que estão “totalmente equivocadas”.

“Esta é uma verdadeira revelação, que pode ter um impacto duradouro sobre a nossa política”, avalia Krugman. Porém, ele reitera que não endossa a candidatura do empresário, reiterando que ele é o “fanfarrão ignorante que ele parece ser”.