‘Não adianta fazer greve: vamos continuar estudando privatizações em SP’, diz Tarcísio de Freitas

Governador garantiu continuidade dos planos para privatizar Sabesp em 2024

Equipe InfoMoney

Tarcísio de Freitas (Foto: Divulgação/Cleiby Trevisan)

Publicidade

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, disse, na manhã desta terça-feira (28), que dará sequência aos estudos para a privatização dos serviços de transporte (CPTM) e água e saneamento (Sabesp), apesar das paralisações dos servidores que questionam a medida.

Segundo Freitas, as desestatizações e os estudos para as concessões não vão parar. “Não adianta fazer greve com esse mote. Vamos continuar estudando [as privatizações]”, disse.

Sobre a Sabesp (companhia de saneamento), o governador garantiu a continuidade dos planos para a privatização em 2o24. “A operação da Sabesp vai acontecer ano que vem e vai ser um grande sucesso. É o que vai garantir pro estado de São Paulo universalização dos serviços de saneamento, aumento da disponibilidade hídrica, alcance de pessoas nas áreas rurais – áreas irregulares consolidadas -, despoluição do Rio Tietê, muito investimento. Estamos falando de quase R$ 70 bilhões de investimento em saneamento básico no estado de São Paulo”, afirmou.

Continua depois da publicidade

Contra privatizações de empresas e órgãos do serviço público estadual, servidores fazem hoje a terceira paralisação, que atinge a linha 15, do Metrô, e a linha 10, da CPTM, cujo reflexo se estende a outras sete linhas.

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou o funcionamento mínimo de 85% do contingente de trabalhadores da CPTM e 80% dos serviços do Metrô nesta terça nos horários de pico – das 4 h às 10 h e 16 h às 21 h na CPTM; e das 6 h às 9 h e das 16 h às 18 h no Metrô. Para os outros horários, o magistrado determinou a operação de 60% nos serviços da CPTM e no Metrô. Oficiais de Justiça estiveram nos Centros de Controle Operacionais (CCO) do Metrô e da CPTM para verificar o cumprimento da decisão do TRT e viram que os percentuais não estão sendo cumpridos, segundo boletim de atualizações do estado sobre a paralisação.

“Mais uma vez a decisão do Judiciário é ignorada”, disse Freitas na coletiva à imprensa. “Ontem [segunda-feira, 27] escalamos as pessoas para cumprirem a determinação judicial e isso não foi suficiente. Obviamente depois do término da greve, isso vai ser apurado, com vistas a aplicação de penalidades. A gente não pode mais tolerar o desrespeito e a indisciplina. A empresa paga o salário e os benefícios dessas pessoas em dia, não está em falta em nada com elas. Agora elas, para protegerem o seu interesse, resolvem prejudicar o interesse de toda uma população, de toda uma cidade”, afirmou.

Em caso de descumprimento, há multas diárias previstas de R$ 600 mil para os sindicatos dos ferroviários e R$ 700 mil para os metroviários.

O que está funcionando?

Segundo o governo de São Paulo, todos os sistemas de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgotos da Sabesp seguem operando regularmente.

E os ônibus municipais e intermunicipais circulam normalmente. “As linhas metropolitanas gerenciadas pela EMTU funcionarão com a intensificação da operação e extensão de itinerário em mais de 30 linhas estratégicas para amenizar os impactos da greve. Além do reforço na quantidade de veículos e aumento de partidas realizadas, as linhas terão seus pontos finais na capital alterados para que os passageiros sigam até as estações que poderão estar funcionando, ou até a conexão com as linhas da SPTrans”, informa.

Já as linhas afetadas pela paralização funcionam como descrito abaixo:

Metrô
• Linha 1- Azul: funcionando de Tiradentes até Ana Rosa com intervalo de 6 minutos;
• Linha 2- Verde: Alto do Ipiranga até Clínicas com intervalo de 6 minutos;
• Linha 3-Vermelha: Bresser até Santa Cecília com intervalo de 5 minutos;
• Linha 15- Prata: fechada.

CPTM
• Linha 7- Rubi: funcionando de Luz a Caieiras com intervalo de até 8 minutos;
• Linha 10- Turquesa: fechada. Contudo, com a chegada mais profissionais na CPTM, a previsão é que a Turquesa funcione das 10h às 15h entre as estações Brás e Mauá;
• Linha 11-Coral: Luz até Guaianases com intervalo de até 6 minutos;
• Linha 12- Safira: Brás até Calmon Viana com intervalo de até 8 minutos;
• Linha 13- Jade: Engenheiro Goulart até Aeroporto de Guarulhos com intervalo de até 30 minutos.

Já as linhas de transporte metropolitano concedidas (linha 4-Amarela e 5-Lilás de metrô e 8-Diamante e 9-Esmeralda de trens metropolitanos) operam normalmente.