Manifestação

Milhares de pessoas protestam em Londres e petição contra visita de Trump supera 1 milhão de assinaturas

Theresa May, que foi a primeira líder mundial a se reunir com Trump desde que ele assumiu a Casa Branca, há 10 dias, anunciou que, apesar da petição, "manterá seu convite"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Milhares de pessoas foram às ruas do Reino Unido nesta segunda-feira (30) para protestar contra o veto imposto pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a cidadãos de sete países de maioria muçulmana e contra a resposta morna do governo britânico à medida tomada pelo republicano. Centenas de pessoas se reuniram em frente à Downing Street, sede do governo britânico em Londres.

Outras centenas de pessoas se reuniram em cidades como Manchester, Birmingham, Nottingham, Edimburgo, Glasgow (Escócia) e Carfiff (País de Gales) em protestos organizados pela Anistia Internacional (AI) e outras associações de direitos humanos.

Ganha força uma petição criada por eleitores do Reino Unido para anular a visita oficial de Trump ao país, sendo que nesta segunda a lista já superava 1 milhão de assinaturas. A petição surgiu ainda antes de a premier britânica, Theresa May, convidar oficialmente Trump a visitar o país na semana passada, durante uma viagem a Washington. As informações são da Agência Ansa

PUBLICIDADE

May, que foi a primeira líder mundial a se reunir com Trump desde que ele assumiu a Casa Branca, há 10 dias, anunciou que, apesar da petição, “manterá seu convite”. Segundo a rede BBC, a premier acredita que desistir da visita de Trump “significaria apagar tudo que foi discutido no primeiro encontro em Washington”, no qual os dois concordaram em unir esforços em temas estratégicos.

Desde a sua campanha eleitoral Trump gera polêmica entre os britânicos devido às suas propostas. Em janeiro de 2016, o Parlamento de Londres votou uma petição para proibir a entrada do magnata  no país. A visita oficial de Trump ao Reino Unido pode ocorrer ao longo de 2017 e contar com um jantar com a rainha Elizabeth II, como manda o protocolo de viagens de chefes de Estado. A petição diz que Trump deve poder entrar no Reino Unido como chefe do governo americano “mas não deve ser convidado para uma visita de Estado, porque isso iria causar embaraço para a rainha”.

“A bem documentada misoginia e vulgaridade de Donald Trump inabilitam-no para ser recebido pela rainha e pelo príncipe de Gales”, acrescenta o texto.  Conforme as regras do Reino Unido, todas as petições que passem das 100 mil assinaturas tem que ser debatidas pelos deputados.