Meirelles diz que sai do BC por vontade própria e na hora certa

Presidente da autoridade monetária não informou sobre substituto e declarou que ficará no cargo até o final deste ano

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, aproveitou a ocasião de seu depoimento à CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do Senado para confirmar sua saída do cargo que ocupa na autoridade monetária desde 2003. Meirelles sai – por suas próprias palavras – feliz e na hora certa.

“É o momento adequado para encerrar a missão”, declarou o presidente do BC, em coletiva antes de seu depoimento sobre o caso de fraude no banco PanAmericano. Justificando, ele afirmou que “regras de boas práticas de governança de bancos centrais aconselham que os presidentes dos BCs não fiquem mais de dois mandatos [no cargo]”.

Questionado sobre sua saída, Meirelles informou que fica até o final do ano e se disse “feliz, gratificado e realizado”, já que, segundo ele, foi um governo de sucesso, com manutenção da inflação dentro da meta e queda na taxa de juros real.

Aprenda a investir na bolsa

Discordâncias com Dilma?
O futuro de Meirelles no novo governo foi discutido amplamente desde a eleição de Dilma Rousseff para a Presidência da República. Na última semana, chegou a ser ventilado que a presidente eleita teria convidado Meirelles a permanecer no cargo no início de seu governo.

Entretanto, houve um mal-estar devido a rumores de que o presidente do BC teria condicionado sua permanência ao grau de autonomia para a condução da política monetária – o que teria contrariado Dilma.

Diante desse contexto, Meirelles voltou a afirmar que a saída do BC é uma “decisão pessoal”.

Substituição
Em relação ao seu substituto, Meirelles foi lacônico. Segundo ele, o anúncio da equipe econômica a ser feito durante a tarde terá três nomes. “Não há nenhuma indicação oficial de escolha dos três nomes. Não posso comentar”, concluiu.