Mantega pede a empresários que não elevem preços de forma brusca

Ministro da Fazenda afirmou que caso isso ocorra, a inflação ficaria pressionada e o Banco Central seria obrigado a elevar a Selic

SÃO PAULO – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, pediu aos empresários que não elevem de forma brusca os preços das mercadorias, para assim evitar maior pressão sobre a inflação. Caso contrário, avaliou, o Banco Central poderá ser obrigado a elevar a taxa básica de juros, a Selic. 

“É preciso que haja cooperação dos empresários para que não queiram se aproveitar da situação para recompor margens por ventura perdidas no período da crise. Tem que ir devagar com as margens, se não isso vai desembocar em preços e juros maiores”, declarou na Expoaço 2010. 

Tarifas de importação
O ministro mais uma vez aventou a possibilidade de reduzir tarifas de importação sobre determinado setor cujos preços estejam inflados, para estimular a concorrência. Mantega também disse que essa pode ser uma medida alternativa à elevação da Selic, embora tenha defendido que um aumento seja utilizado quando esta for a única maneira de conter a inflação: “Quando é inevitável, deve-se elevar os juros, porque o pior dos males é a inflação e não a elevação dos juros”, concluiu.