Pesquisa

Lula abre vantagem de 12 pontos sobre Bolsonaro no primeiro turno e lidera em todos os cenários, mostra XP/Ipespe

Líder petista amplia vantagem sobre adversários em simulações; Bolsonaro não derrota nenhum adversário no segundo turno

Por  Marcos Mortari -

SÃO PAULO – A cerca de 15 meses das eleições gerais, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera nas simulações de primeiro e segundo turnos para o Palácio do Planalto. É o que mostra nova rodada da pesquisa XP/Ipespe, divulgada nesta quinta-feira (8).

O levantamento, realizado entre os dias 5 e 7 de julho, mostra que Lula mantém sua trajetória de crescimento e atinge 38% das intenções de voto em cenário estimulado (quando são apresentados ao eleitor possíveis nomes de candidatos) de primeiro turno.

Desta forma, o líder petista abre vantagem de 12 pontos percentuais sobre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), segundo colocado na pesquisa.

Na sequência, aparecem o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT), com 10%; e o ex-juiz federal Sergio Moro (sem partido), com 9%. No terceiro pelotão, vem o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), com 3%, seguido pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e Guilherme Boulos (PSOL), ambos com 2% das intenções de voto.

Foram realizadas 1.000 entrevistas, de abrangência nacional, conduzidas por operadores. A margem máxima de erro é de 3,2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

A pesquisa fez outra simulação de primeiro turno, sem Moro e Doria, e com o apresentador de televisão José Luiz Datena (PSL) e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB).

Neste caso, Lula aparece com 35% das intenções de voto. Bolsonaro tem 27% − 16 pontos a mais que Ciro Gomes. Mandetta conta com o apoio de 5%, tecnicamente empatado com Datena e Eduardo Leite − ambos com 4% − e Boulos, que tem 2%.

No cenário espontâneo (quando os eleitores indicam seus votos sem que lhes sejam apresentados nomes de candidatos), Lula tem 25% das intenções de voto, tecnicamente empatado com Bolsonaro, com 22%.

Ciro Gomes aparece com 4%. Doria, Leite, Mandetta, Moro e o empresário João Amoêdo (Novo) têm 1% cada. Entre os entrevistados, 38% não responderam e 7% indicaram intenção em votar em branco ou anular o voto.

Segundo turno

Foram feitas 10 simulações de segundo turno. O ex-presidente Lula aparece em cinco delas, superando seus adversários com vantagem superior ao limite da margem de erro. Contra Bolsonaro, a diferença, que era de 9 pontos em junho, agora é de 14 p.p. a favor do petista.

Também cresceu a vantagem de Lula contra Moro. O petista aparece com 48% das intenções de voto, contra 35% do ex-juiz. Um mês atrás, a diferença era de 8 p.p.. Moro chegou a liderar a disputa em três pesquisas realizadas no ano passado.

Lula também derrotaria Ciro Gomes (45% a 30%), Mandetta (48% a 25%) e Eduardo Leite (49% a 21%). Não há série histórica nesses casos.

Além do cenário contra Lula, o nome de Bolsonaro é testado contra cinco potenciais adversários. O presidente aparece numericamente à frente apenas dos tucanos João Doria (37% a 34%) e Eduardo Leite (35% a 32%). Em ambos os casos, contudo, o quadro é de empate técnico, já que a diferença está dentro da margem de erro, de 3,2 p.p. para cima ou para baixo.

Bolsonaro, por outro lado, seria derrotado por Ciro Gomes. A edição de julho da pesquisa mostra o pedetista com 43% das intenções de voto – 10 p.p. a mais que o atual presidente. Um mês atrás, a diferença era de 4 pontos, o que configurava empate técnico.

Na disputa contra Sergio Moro, Bolsonaro aparece numericamente atrás, com diferença de 4 pontos percentuais: 34% a 30%. Em junho, os dois tinham 32% das intenções de voto. Já contra Mandetta, a pesquisa indica empate numérico, com 35% para cada candidato.

Compartilhe