Câmara

Líder do PT nega possibilidade de acordo com “centrão” para desestabilizar governo

"Nós não fazemos política com golpistas, sejam eles do centrão ou da banda de PSDB e DEM", declarou o deputado Afonso Florence

SÃO PAULO – Um dos presentes no pronunciamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na véspera, o líder do PT na Câmara dos Deputados, Afonso Florence (BA), afirmou que a posição do partido será dura contra as acusações feitas pelos procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato, que consideram infundadas e meramente políticas.

“A fala do presidente Lula e a reação do Diretório Nacional são uma demonstração de que a reação será à altura das infrações cometidas com uma acusação reconhecidamente sem provas”, disse. O parlamentar destaca que a estratégia de enfrentamento do partido terá no apoio popular sua sustentação.

Quando questionado sobre os rumores de que a bancada petista na Câmara estaria articulando uma aliança com o “centrão” para desestabilizar a base do governo do presidente Michel Temer, Florence disse que essa era uma intenção de parlamentares do “blocão” e que não tem correspondência entre os petistas.

PUBLICIDADE

“Nós não fazemos política com golpistas, sejam eles do centrão ou da banda de PSDB e DEM”, declarou. “Claro que vamos discutir os temas internos da Câmara, mas não existe a hipótese de, na disputa interna deles, tomarmos partido”.