Política

Líder do governo diz que votará pela soltura de deputado preso por ofensas ao STF

"O impasse é entre Legislativo e Judiciário. O governo não faz parte da questão", ponderou Ricardo Barros

O deputado Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, durante sessão em plenário (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

BRASÍLIA – O líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), anunciou nesta quarta-feira que votará pela soltura do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), detido na véspera por divulgar um vídeo em que ofende e pede a destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Entre as declarações de Silveira no vídeo, o deputado diz que já imaginou ministros do STF sendo surrados.

“Como parlamentar, votarei pela soltura do deputado Daniel Silveira; pela liberdade de expressão, de opinião e pela imunidade parlamentar, diretos garantidos na Constituição Federal. O impasse é entre Legislativo e Judiciário. O governo não faz parte da questão”, tuitou Barros nesta quarta-feira.

O STF decidiu em rápido julgamento nesta tarde manter por unanimidade a decisão da véspera do ministro Alexandre de Moraes, que determinou a prisão do deputado.

Ao mesmo tempo, a Mesa Diretora da Câmara também reunia-se para discutir o caso, que também será levado à reunião do colégio de líderes, na sequência, segundo o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL).

No Twitter, Lira afirmou que os deputados irão “em conjunto, avaliar e discutir a prisão do deputado Daniel Silveira”, já sinalizando que pretende dividir a responsabilidade pela condução do caso.

Partidos divergem sobre o assunto. Representantes da oposição defendem a cassação do deputado, enquanto há os que trabalham por um relaxamento de sua prisão. Uma das saídas seria encaminhar o caso ao Conselho de Ética da Câmara.