Indignado com absolvição de João Paulo, Conselho de Ética prepara renúncia coletiva

O ex-presidente da Câmara era acusado de envolvimento no esquema do mensalão por ter recebido R$ 50 mil do valerioduto

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Indignados com a absolvição do deputado João Paulo Cunha (PT-SP), membros do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados disseram que vão entregar nesta sessão um pedido de renúncia coletiva.

“É um protesto. A minha sensação é de impotência, desalento, desencanto. A absolvição significa que pegar dinheiro de empresa não é irregular e fazer contrato lesivo ao poder público não é irregular”, protestou o deputado Cezar Schirmer (PMDB-RS).

Além de Cezar Schirmer, os deputados Orlando Fantazzini (PT-SP), Júlio Delgado (PSB-MG), Chico Alencar (Psol-RJ), Benedito de Lira (PP-AL), Nelson Trad (PMDB-MS), Carlos Sampaio (PSDB-SP), Marcelo Ortiz (PV-SP), Cláudio Magrão (PPS-SP) também deverão deixar seus cargos. O conselho é composto por 15 titulares e 15 suplentes.

Político recebeu R$ 50 mil de Marcos Valério

Aprenda a investir na bolsa

A Câmara dos Deputados absolveu na última quarta-feira o deputado João Paulo Cunha (PT-SP) por 256 a 209 votos. O ex-presidente da Câmara era acusado de envolvimento no esquema do mensalão por ter recebido R$ 50 mil de Marcos Valério.