Lava Jato

Grupo de parlamentares vai a Janot pedir afastamento de Cunha

Questionado hoje sobre o pedido, presidente da Câmara respondeu que não está preocupado com isso.

Sete parlamentares do Psol, PT, PSB e PDT entregaram nesta quinta-feira (3) ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, um pedido para que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, seja afastado do cargo se a denúncia contra ele for aceita pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Cunha foi denunciado em agosto por Janot ao Supremo. Ele é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro.

Questionado hoje sobre o pedido, Cunha respondeu que não está preocupado com isso. Ele já afirmou ser inocente e ressaltou não ter cometido nenhuma irregularidade. O presidente argumentou que o delator Júlio Camargo, que não havia citado o seu nome em depoimentos anteriores, foi pressionado pelo procurador-geral da República a mudar de versão para prejudicá-lo. Cunha disse que foi escolhido para ser investigado como parte de uma tentativa do governo de calar e retaliar a sua atuação política.

Apoio a Cunha
Ontem, o presidente da Câmara recebeu o apoio da Frente Parlamentar da Segurança Pública, que reúne 301 deputados. Eles elogiaram a postura de independência da Câmara apresentada nos últimos meses. Durante um café da manhã para discutir a pauta da frente, Eduardo Cunha disse que continuaria no mandato até o último dia e que não abriria mão das suas prerrogativas por “medo ou risco de desagradar a alguém”.

PUBLICIDADE

O coordenador da frente, deputado Alberto Fraga (DEM-DF), disse que Cunha desagrada àqueles que querem transformar a Câmara “num puxadinho do governo federal”.