Conteúdo editorial apoiado por

Governo quer reduzir IR cobrado sobre operações de Day Trade na Bolsa, diz jornal

Segundo reportagem do jornal O Globo, projeto elaborado pelo Ministério da Fazenda também regulamenta criptoativos e muda prazo para tributação sobre venda de ações

Equipe InfoMoney

B3  Bovespa  Bolsa de Valores de São Paulo  (Germano Lüders/InfoMoney)
B3 Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo (Germano Lüders/InfoMoney)

Publicidade

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pretende encaminhar, nos próximos dias, ao Congresso Nacional, um projeto de lei com uma série de medidas para estimular operações no mercado de renda variável. A informação foi publicada, nesta quinta-feira (28), pelo jornal O Globo.

Segundo o veículo, uma das propostas é reduzir de 20% para 15% a alíquota de Imposto de Renda cobrada nas operações de Day Trade − negociações, com os mesmos papéis, iniciadas e encerradas no mesmo dia (saiba mais sobre o assunto clicando aqui) − na B3.

Desta forma, o percentual cobrado passaria a ser o mesmo de operações com prazos maiores − o que em tese pode estimular tal atividade e até aumentar o volume de negociações diárias na Bolsa.

Continua depois da publicidade

Ainda de acordo com a reportagem, a proposta altera a forma como é tributada a venda de ações no mercado. Atualmente, o prazo para controle do pagamento do imposto é mensal, com isenção para quem negocia até R$ 20 mil. A ideia é que as informações passem a ser trimestrais, com tributação apenas quando ultrapassar R$ 60 mil.

O texto também deve regulamentar o mercado de criptoativos. Segundo o jornal, a ideia do texto, que já foi encaminhado pelo Ministério da Fazenda à Casa Civil, é enquadrar esses ativos nas mesmas regras de aplicações financeiras em território nacional.

Em janeiro, o InfoMoney noticiou as discussões no governo federal para elaborar um projeto de lei para consolidar regras para aplicações financeiras mantidas no país. A medida é tratada no Ministério da Fazenda como a última ação do pacote relacionado à tributação de atividades no mercado financeiro.