Congresso

Governo recorre ao STF e espera anular eleição de chapa pró-impeachment

Caso a eleição não seja anulada via STF, o PT pretende ainda fazer uma ofensiva jurídica para reverter o resultado

SÃO PAULO – O governo federal ainda tenta a anulação da vitória da oposição na criação da chapa do impeachment na Câmara dos Deputados. Durante a tarde, o PCdoB recorreu à Suprema Corte do STF (Supremo Tribunal Federal) para derrubar a chapa da oposição e evitar que a eleição fosse secreta. O caso será analisado pelo ministro Luiz Edson Fachin.

Porém, caso a eleição não seja anulada via STF, o PT pretende ainda fazer uma ofensiva jurídica para reverter o resultado. Para o líder petista na Câmara, Sibá Machado (AC), o processo para a eleição da chapa está “viciado” ao ter sido realizado em uma manobra do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com os partidos de oposição.

“O processo está viciado e temos de fazer algo para barrar essa situação. Isso aqui não é um jogo de Fla-Flu e não pode ficar desse jeito”, disse. “Nós esperamos reverter isso na Suprema Corte”, afirmou o deputado.

PUBLICIDADE

Já para Silvio Costa (PSC-PE), um dos vice-líderes do governo, os 199 votos obtidos pelo governo é um “piso”, e não o teto. Embora reconheça que tenha sido uma derrota, ele diz que o número mostra que “a base do governo está consolidada” e que, com o voto aberto, a tendência é que mais gente vote a favor da presidente. “A intenção era só dar um susto no governo”, disse.