Governo quer recuperar o poder aquisitivo de parte da população

Bloqueio de boa parte do dinheiro do Orçamento privilegia as políticas de transferência de renda

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – De acordo com a secretária-executiva do Fórum Brasil do Orçamento, Eliana Graça, o governo federal está disposto a recuperar o poder aquisitivo de uma parcela da população, mesmo que isso sacrifique gastos no desenvolvimento social.

Conforme divulgou a Agência Brasil, o bloqueio de R$ 16,4 bilhões do Orçamento Geral da União, anunciado pelo Ministério do Planejamento, também mostrou que o governo privilegia políticas de transferência de renda.

Cortes de orçamento

Segundo Eliana, a execução dos planos do governo será possível com a retirada de verbas de políticas universais, como saúde, educação e meio ambiente.

Aprenda a investir na bolsa

As despesas vinculadas ao salário mínimo e ao pagamento de pessoal público, por exemplo, foram revistas para cima em R$ 3,3 bilhões. “Essa é uma política que ajuda a recuperar a renda do brasileiro. No entanto, não pode ser feita às custas de corte na área social”, declarou a secretária-executiva.

Verbas

Já no caso do Ministério do Desenvolvimento Social, responsável pelo Bolsa Família, o orçamento foi aumentado em R$ 630,6 milhões este ano, ao mesmo tempo em que 14,1% do orçamento do Ministério da Saúde foi bloqueado.

E dos R$ 70,1 milhões aprovados no orçamento para investimentos na área ambiental, o governo só autorizou R$ 36,8 milhões. No Ministério das Cidades, que cuida de áreas como habitação e saneamento, dois terços do orçamento de R$ 3,26 bilhões foram bloqueados.

Por conta disso, o Fórum Brasil do Orçamento entregou uma carta ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedindo mais transparência na execução do orçamento.