Segundo Estadão

Governo projeta conseguir R$ 120 bi em desestatizações; veja como ele pretende fazer isso

Porém, o  montante oficial ainda depende de algumas decisões, segundo o jornal O Estado de S. Paulo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As desestatizações previstas pelo governo federal têm potencial de levantar pelo menos R$ 120 bilhões, segundo levantamento do jornal O Estado de S. Paulo com base em estimativas do governo. Porém, o  montante oficial ainda depende de algumas decisões, segundo o jornal. 

 Não há definição de que participações acionárias da Eletrobras (ELET6) serão colocadas à venda, por exemplo. O reforço nas contas virá de concessões, privatizações, vendas de ativos, securitizações e aberturas de capital, classificados pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, como “Plano B” da gestão da economia. Já o “Plano A” seria corte de gastos e o “C” aumento de impostos.

Estas medidas podem ajudar o caixa do governo através da receita com a venda de bens, imposto de Renda sobre lucro das estatais com os negócios, aumento do lucro das estatais e pagamento de dividendos e economia com menor necessidade de capitalização das estatais

Aprenda a investir na bolsa

Como as desestatizações e securitizações vão reforçar o caixa do governo, segundo o Estadão:

– R$ 50 bilhões do setor de energia: venda de participações acionárias da Eletrobrás em 154 SPEs; venda das distribuidoras de energia no Norte e Nordeste; venda de hidrelétricas que eram da Cemig: Jaguara, São Simão e Miranda; pré-sal: licitação dos campos unitizáveis Carcará, Gato do Mato, Tartaruga Mestiça e Sapinhoá; pós-sal: 14ª rodada de óleo e gás

– Setor financeiro: Banco do Brasil pode vender administradora de cartões e administradora de recursos de terceiros; Caixa estuda joint venture em loterias, procura parceiro para administração de cartões, estuda abertura de capital da Caixa Seguridade e poderá ter sócio para operar loteria na internet; BNDESPar, braço de investimentos do BNDES, venderá participações; Abertura de capital do Instituto de Resseguros do Brasil

– R$ 60 bilhões de securitização: venda de créditos que a Receita Federal tem a receber

– R$ 5 bilhões a R$ 10 bilhões com concessão de aeroportos: Salvador, Fortaleza, Florianópolis e Porto Alegre e venda de aeroportos regionais

(Com Agência Estado) 

PUBLICIDADE