Governo enfrenta restrições a novo imposto dentro da base aliada

Parlamentares ligados à bancada da saúde não aceitam desfiguração de texto originalmente proposto

SÃO PAULO – Parte dos deputados da base aliada pode ir contra criação da CSS (Contribuição Social da Saúde), imposto que pretende cobrir os novos gastos com Saúde previstos pela Emenda 29.

Parlamentares de partidos como PMDB e PTB, ligados à Frente Parlamentar da Saúde presidida pelo deputado Rafael Guerra (PSDB), entendem que a criação do novo imposto por meio da lei que regulamentará a emenda constitucional desfiguraria o texto original defendido pelo grupo.

Dissidência

De acordo com Guerra, o grupo não aceitará “essa imposição do Governo. Acho que poderemos ter novos adiamentos”. Outro problema enfrentado pelos situacionistas reside na impopularidade da criação de um novo imposto, o que afetaria a pretensão eleitoral de alguns deputados e criaria restrições à proposta.

Todavia, o líder do PT na casa mantém discurso otimista. “Acho mais conveniente que votássemos logo [a emenda 29]. Penso que temos maioria, mesmo com defecções”, afirmou Maurício Rands.