CPI da Petrobras

Ex-dirigente da Camargo Corrêa detalha negociações de propina com Vaccari

Eduardo Hermelino Leite disse que o ex-tesoureiro do PT propôs a ele que a empreiteira quitasse débitos referentes ao pagamento de propinas na estatal por meio de doações oficiais ao partido

Em depoimento à CPI da Petrobras (PETR3;PETR4), o executivo Eduardo Hermelino Leite, ex-vice-presidente da construtora Camargo Côrrea, disse que o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto propôs a ele que a empreiteira quitasse débitos referentes ao pagamento de propinas na estatal por meio de doações oficiais ao partido.

Segundo Leite, a proposta foi feita a ele na segunda vez que esteve reunido a sós com Vaccari, sempre em restaurantes de São Paulo. “Da primeira vez a conversa foi institucional e ele me perguntou como funcionava a doação eleitoral dentro da Camargo”, explicou.

No encontro seguinte, segundo ele, “a conversa foi outra”. “Ele me disse que estávamos em débito com o pagamento de propina à diretoria de Serviços [ocupada por Renato Duque] e me ofereceu para quitar a dívida por meio de doações oficiais ao PT”, disse.

PUBLICIDADE

Leite disse à CPI que a Camargo Correa não aceitou a proposta e continuou a fazer o pagamento de propina por meio de empresas de consultoria de fachada, como vinha fazendo.

Vaccari está preso em Curitiba (PR) e nega envolvimento.