Ex-deputado Roberto Jefferson é indiciado por formação de quadrilha

Polícia Federal indiciou o presidente do PTB baseada no caso dos Correiros; para ele, tudo não passa de perseguição

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Polícia Federal indiciou nesta quarta-feira (21) o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB) por formação de quadrilha no episódio dos Correios relatado em 2006. Depois de faltar a duas inquirições, Roberto Jefferson compareceu nesta quarta-feira à sede da Polícia Federal, em Brasília. Na seqüência do interrogatório, a polícia o indiciou.

Os investigadores usaram como prova para o indiciamento o livro de autoria do ex-deputado intitulado “Nervos de Aço”, no qual ele relata alguns fatos acerca dos escândalos de corrupção vividos no ano passado.

Um dos trechos utilizados é este: “Mas toda licitação tem critérios objetivos e subjetivos. E aqui afirmo abertamente: se nos critérios técnicos duas empresas empatam, se as duas atendem ao interesse da estatal, acho perfeitamente natural que a escolhida seja aquela mais afinada com o partido representado naquela diretoria. Isso é muito mais justo e democrático do que favorecer sempre as mesmas empresas, vinculadas aos mesmos interesses.”

Vítima de perseguição política

Aprenda a investir na bolsa

Para Roberto Jefferson, a Polícia Federal persegue os “inimigos” do governo e até mesmo os filiados do PT que possam vir a demonstrar algum risco para a atual gestão em Brasília. “Quando alguém do PT incomoda, eles colocam numa quarentena. A Polícia Federal se transformou no braço político do governo Lula”, disse ele em entrevista à imprensa.

Não obstante, o ex-deputado já havia criticado recentemente o delegado Daniel França, que preside o inquérito dos Correios. Disse que França “não está cumprindo um papel de agente de Estado”, acusando-o de ser um “agente partidário, agente político, a serviço do governo”.