Crise na Câmara

Em vídeo, Ciro Gomes chama Cunha de “câncer” e Temer de cúmplice: “todo mundo sabia”

"O cabra é enrolado em tudo que não presta desde não sei quando. Todo mundo sabia disso. Votou (nele para a presidência da mesa diretora da Câmara) porque recebeu uma bandinha do cabra, mas agora foi pego"

SÃO PAULO – Recentemente de volta à política com novo partido – o PDT -, o ex-ministro e ex-deputado Ciro Gomes divulgou, na última terça-feira (3), um vídeo em sua página no Facebook atacando o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e o vice-presidente da República, Michel Temer, além de fazer insinuações a grupo expressivo de parlamentares pelo comportamento durante as eleições na casa. “Não é possível que o parlamento brasileiro ainda sobreviva com o mínimo de respeitabilidade popular sem resolver esse câncer”, afirmou o político cearense. O vídeo foi postado às 22h de ontem e, até a manhã desta quarta-feira, contava com 32.732 visualizações, 1.121 curtidas e 1.240 compartilhamentos.

“O cabra é enrolado em tudo que não presta desde não sei quando. Todo mundo sabia disso. Votou (nele para a presidência da mesa diretora da Câmara) porque recebeu uma bandinha do cabra, mas agora foi pego”, disse. A indireta a muitos parlamentares que votaram no peemedebista, de certo modo, dialoga com a polêmica frase de seu irmão feita no começo do ano, que custou o cargo de ministro da Educação. Cid Gomes teria afirmado, na tribuna da casa, que na Câmara haveria “uns 400, 300 deputados achacadores”.

Na ocasião, o político atacou os governistas que chantageavam seu apoio em troca de cargo ou outras facilidades. “Partidos de situação têm o dever de ser situação ou então larguem o osso, saiam do governo, vão pra oposição. Isso será mais claro para o povo brasileiro”, bradou. Em referência direta a Eduardo Cunha, inclusive apontando o dedo para o carioca, Cid disparou: “Eu fui acusado de ser mal educado. O ministro da Educação é mal educado. Eu prefiro ser acusado por ele [Eduardo Cunha] do que ser como ele, acusado de achaque”.

PUBLICIDADE

Em sintonia com o discurso do irmão, Ciro prosseguiu com acusações a Cunha. No vídeo da última terça, ele lembrou de um episódio que havia denunciado quando foi deputado federal, colega do atual comandante da casa. “Vocês podiam pesquisar quem foi que relatou a medida provisória do Minha Casa Minha Vida, quando era presidente da Câmara o senhor Michel Temer, e Eduardo Cunha recebeu dele essa tarefa e apresentou uma emenda criando crédito superior a R$ 80 bilhões para atender o lobby da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo)”, argumentou. Conforme conta na passagem, uma denúncia foi apresentada por ele a Temer, que não teria reagido. “Michel Temer é parceiro íntimo de Eduardo Cunha”, complementou o político cearense, conhecido por não se intimidar em pronunciamentos.

A íntegra do vídeo pode ser vista clicando aqui.


É hora ou não é de comprar ações da Petrobras? Veja essa análise especial antes de decidir:

 

Leia também:

PUBLICIDADE

Você investe pelo banco? Curso gratuito mostra como até dobrar o retorno de suas aplicações