Política

Em nova estratégia, Temer deve redistribuir cargos do PSDB para o Centrão para derrubar denúncia

A negociação tem sido em torno principalmente de dois ministérios hoje ocupados pelo PSDB: Cidades e a Secretaria de Governo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A manobra do presidente Michel Temer de trocar mais de vinte integrantes da Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania da Câmara deu certo e nesta quinta-feira (13) o relatório favorável a denúncia contra ele foi rejeitado. Passado isso, o governo já prepara sua próxima estratégia para conseguir se salvar.

Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, Temer deve ampliar o espaço dos partidos do chamado Centrão no governo como retribuição ao apoio que recebeu contra a denúncia. De acordo com a publicação, a negociação tem sido em torno principalmente de dois ministérios hoje ocupados pelo PSDB: Cidades e a Secretaria de Governo.

Os tucanos ainda se mostram muito indecisos, o que se torna um grande risco para o governo, liberando a bancada do partido para votar como quiser no plenário, enquanto seus líderes discutem se abandonam ou não o governo. Nesta semana, PP, PR, PSD e PR fecharam questão para votarem contra a denúncia, enquanto o DEM, partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), ainda não se posicionou.

Aprenda a investir na bolsa

O Estadão ainda afirma que integrantes do Centrão manifestaram desejo de ocupar essas pastas, sendo que o PP e o PSD já comandaram o Ministério das Cidades antes. A pasta, que tem um orçamento robusto e muita capilaridade nos municípios, é vista como um trunfo diante da proximidade das eleições de 2018.