No lugar de Cunha

“Ele está catatônico”, diz deputado sobre presidente interino da Câmara

"Ele está catatônico. O ineditismo dos fatos deixou o presidente catatônico!" disse Júlio Lopes, ao sair do gabinete de Waldir Maranhão

SÃO PAULO – O afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara dos Deputados não deixou chocado apenas o próprio deputado. Segundo o jornal O Globo, o deputado Júlio Lopes (PP-RJ), do mesmo partido do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA) resumiu a reação e o sentimento que o colega está vivenciando horas depois de assumir a presidência da Casa.

Ele está catatônico. O ineditismo dos fatos deixou o presidente catatônico!” disse Júlio Lopes, ao sair do gabinete de Maranhão. Logo após receber a intimação para assumir a Câmara, o deputado se reuniu com os assessores da Secretaria Geral da Câmara e tomou uma decisão que, segundo Júlio Lopes, já voltou atrás: encerrar a sessão plenária extraordinária que tinha sido convocada por Cunha e estava em andamento, embora esvaziada.

A decisão de encerrar a sessão e só convocar uma nova para amanhã provocou uma reação irada de deputados que queriam falar sobre o afastamento de Cunha em plenário, afirma a publicação.

PUBLICIDADE

Em grupo, deputados como Luiza Erundina (PSOL-SP), Chico Alencar (PSOL-RJ), Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e outros foram até Maranhão cobrar que ele abrisse uma sessão na tarde de hoje para debates, o que deve ocorrer.

Assim que assumiu a presidência e encerrou a sessão, Maranhão deixou o plenário passando pelo comitê de imprensa, mas não quis conversar com os jornalistas e nem responder ás perguntas que estavam sendo feitas. Foi para o gabinete de Cunha e lá permaneceu por cerca de meia hora, saindo depois para ir ao gabinete da vice-presidência.