Diretores do Senado são exonerados após suspeita de atos secretos na Casa

Alexandre Gazinero e Ralph Campos perdem os cargos, mas permanecem na Casa; novos diretores assumem por 90 dias

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – De acordo com o primeiro secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), foram exonerados na tarde desta terça-feira (23) o diretor-geral da Casa, Alexandre Gazinero, e o diretor de Recursos Humanos, Ralph Campos. Ambos são suspeitos de participação no esquema de edição de atos secretos no Senado para nomeações e para criação de cargos e privilégios.

Assumirão os cargos os servidores Haroldo Tajela, como diretor-geral, e Dóris Peixoto, como diretor de RH. Conforme o primeiro-secretário, os novos diretores deverão ocupar as posições provisoriamente por 90 dias.

Mesmo perdendo os cargos, Gazinero e Campos permanecem no Senado, uma vez que são funcionários de carreira. Ambos haviam assumido a posição de direção na Casa no lugar de Agaciel Maia e João Carlos Zoghbi, que foram demitidos semanas após a eleição de José Sarney (PMDB-AP) como presidente do Senado.

Lula

Aprenda a investir na bolsa

O presidente da República, Luis Inácio Lula da Silva, afirmou que para evitar novos escândalos, como a atual crise no Senado, é preciso a realização de novas eleições e uma mudança na estrutura política e partidária.

“O povo brasileiro já viu muitos escândalos. Ao longo da história, o que nós mais vemos são escândalos, divulgados em verso e prosa, que depois não dão em absolutamente nada. O que eu acho é que temos a chance, a cada quatro anos, de mudar as coisas. Em 2010 tem eleição. É uma oportunidade extraordinária para o povo brasileiro escolher as pessoas que ele entenda que sejam as melhores para governar este País”, declarou.

“O Senado, quando tem problema, resolve. A Câmara, quando tem problema, resolve. O governo federal, quando tem problema, resolve. Não vamos fazer disso uma causa nacional, porque temos coisas mais importantes para discutir no Brasil”, concluiu o presidente.