Presidência da Câmara

Dilma teme que Eduardo Cunha vote impeachment contra ela se eleito, diz Veja

Segundo relatos feitos a outros petistas, muito mais do que qualquer diferença ideológica ou antipatia pessoal, o que pesa mesmo no núcleo duro do governo contra Eduardo Cunha e a favor de Arlindo Chinaglia é este receio

SÃO PAULO – Que a eleição da Câmara dos Deputados é uma grande dor de cabeça para o governo Dilma Rousseff (PT), ainda mais com o nome de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na disputa, ninguém duvida. Contudo, há um motivo que faz com que a presidente tema a eleição de Cunha como presidente da Casa.

Segundo a coluna Radar Online, da Veja, em reunião com ministros, a presidente Dilma  confidenciou que teme que Cunha, caso eleito presidente da Câmara dos Deputados, coloque para votação um processo de impeachment contra ela.

E, segundo relatos feitos a outros petistas, muito mais do que qualquer diferença ideológica ou antipatia pessoal, o que pesa mesmo no núcleo duro do governo contra Eduardo Cunha e a favor de Arlindo Chinaglia é este receio.

PUBLICIDADE

Cunha já mandou recados de que não agirá assim, como em entrevista ao Valor Econômico  em que destacou que iria arquivar o processo. “Tenho uma filosofia: tudo que aconteceu com relação às denúncias que existem hoje aconteceu no mandato passado, encerrou no dia 31 de dezembro. Não vejo como responsabilizar, do ponto de vista político, em nenhuma circunstância, a presidente da República”, acrescentou. O Planalto, no entanto, não acredita, diz a coluna Radar.