Pedido ao Senado

Dilma pede que se adie votação de reajuste do Judiciário que custaria R$ 16 bi à União

Reajuste médio seria de 59,49% para o Judiciário; Dilma disse que o governo é contra o projeto de lei e por isso pediu a Delcídio que tente adiar a votação na comissão do Senado

SÃO PAULO – Como parte dos esforços para o ajuste fiscal e equilíbrio das contas do governo, a presidente Dilma Rousseff pediu ao Senado para adiar a votação de um projeto para reajuste dos salários do Judiciário. O reajuste teria um impacto de R$ 16 bilhões no orçamento da União até 2017, sendo R$ 2 bilhões só em 2015. As informações são do jornal Folha de S. Paulo. 

O senador Delcídio Amaral (PT-MS) disse na última segunda-feira (11), durante reunião da coordenação política do governo, que o Projeto de Lei 28/2015 deve ser aprovado esta semana pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado. O PL 28/2015  estabelece um reajuste escalonado de, em média 59,49%, para os servidores do Judiciário.

Ao ser apresentada a um estudo sobre o impacto orçamentário da aprovação do projeto, Dilma mostrou-se surpresa e cobrou a equipe econômica por não ter feito monitoramento do tema antes. Dilma disse que o governo é contra o projeto de lei e por isso pediu a Delcídio que tente adiar a votação na comissão.

PUBLICIDADE

Ele afirmou que já havia adiado a votação com pedido de vista na última semana, mas disse que não deve adiar novamente pois outros senadores estão empenhados na votação.