NO AR Como é possível fazer trades começando com apenas R$ 25

Como é possível fazer trades começando com apenas R$ 25

Discussão sobre Cunha

Deputados se xingam e saem no tapa durante reunião no Conselho de Ética; veja vídeo

Os deputados Zé Geraldo (PT-PA) e Wellington Roberto (PR-PB) trocaram ofensas, tapas e tiveram que ser contidos por colegas e seguranças da Câmara

Aprenda a investir na bolsa

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados teve uma sessão tensa na manhã desta quinta-feira, com bate-boca e até tapas entre deputados. Além das confusões, ficou decidido que o novo relator do processo contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Marcos Rogério, entragará relatório sobre  o caso e lembrou que, como já era de conhecimento de todos os parlamentares, será favorável à admissibilidade do processo. 

“Meu parecer em razão da discussão da matéria já é conhecido de todos, então apresentarei apenas de maneira formal meu relatório”, disse Marcos Rogério, destacando que, por zelo ao processo, não apresentaria o voto imediatamente.

“Vou repeitar o devido processo. Não aturarei com açodamento nem procrastinação, serei na condição de relator, um ajudante de cumpridor do regimento. Vou zelar pela probidade do processo”, afirmou.

Aprenda a investir na bolsa

O Conselho já iniciou a reunião com confusão e bate boca entre deputados em razão do painel eletrônico no colegiado estar desligado no momento do registro da presença dos parlamentares. 

O deputado João Carlos Bacelar (PR-BA) reclamou que, no momento de registrar presença no painel eletrônico do colegiado, o painel ficou desligado. “Muitos deputados não conseguiram marcar presença no horário em ponto em virtude do painel estar desligado. Ficou desligado por oito minutos. Muitos deputados saíram porque acharam que não seria aqui”, disse Bacelar.

O presidente do conselho, José Carlos Araújo (PSD-BA) rebateu: “Eu ainda sou o presidente do conselho, ainda não me afastaram, porque aqui pode tudo, mas o sistema não está ligado a mim e, sim, à Mesa Diretora. Estou aqui apenas para dirigir os trabalhos”, informou.

Deputados continuaram discutir com o presidente. Araújo afirmou que o problema foi que o painel não foi ligado, mas o sistema registrou a presença na ordem de chegada. “Não houve prejuízo para ninguém. Vossa Excelência está tumultuando o processo”, disse o presidente.

João Carlos Bacelar protestou. “Eu quero o meu direito de votar”, disse. O deputado Leo de Brito (PT-AC) criticou a destituição do relator Fausto Pinato (PRB-SP) pelo primeiro vice-presidente da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA). “Isso vai ficar marcado para sempre na história do Conselho de Ética”, afirmou.

Ofensas na Câmara
As discussões não pararam por aí. Mais cedo, os deputados Zé Geraldo (PT-PA) e Wellington Roberto (PR-PB) trocaram ofensas, tapas e tiveram que ser contidos por colegas e seguranças da Câmara. A discussão teve início quando Wellington afirmou que a votação no colegiado de um projeto de resolução pedindo a retirada do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do cargo era golpe.

PUBLICIDADE

“Você mete a mão em mim. Me respeite. O senhor chamou de moleque todo mundo aqui, de turma do Cunha. Quem tem turma é ladrão”, esbravejou Wellington. “Fale o que quiser. Aceito tudo, menos você me tocar”, gritou o petista. “Macho nenhum vai tocar em mim”, reagiu aos gritos Wellington Roberto. Zé Geraldo, depois, mais calmo, mudou de lugar. 

O presidente José Carlos Araújo chegou a suspender a sessão após a confusão entre os parlamentares. “Esse conselho deve ser o local da ética, do zelo e do respeito entre os seus pares”.

(Com Agência Brasil)

 

(Com Agência Câmara)