Política

Deputado pede o afastamento de Cunha: “não tinha condições morais para ser presidente”

Deputado Sílvio Costa diz que conversará com juristas para avaliar se cabe impeachment do presidente da Câmara: "por muito menos, a Câmara afastou Severino Cavalcanti"

SÃO PAULO – Logo após a coletiva de imprensa dada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para formalizar sua ruptura pessoal com o governo, o deputado Silvio Costa (PSC-PE) defendeu o afastamento temporário do parlamentar do cargo máximo da mesa diretora da casa ou até mesmo seu impeachment. “Por muito menos, a Câmara afastou Severino Cavalcanti”, disse.

Vice-líder do governo na Câmara, Costa disse falar em nome pessoal que irá procurar juristas para avaliar se cabe processo de impeachment para o peemedebista. “Cunha perdeu condições de continuar à frente da Câmara”, atacou. Em sua avaliação, o presidente da casa não pode “usar a Câmara para agredir instituições”. Além disso, Costa insinuou problemas na efetivação de Cunha para o cargo anteriores às denúncias divulgadas na véspera. “Ele não tinha condições morais para ser presidente”, afirmou.

A decisão de Eduardo Cunha de romper com o governo e virar oposição – condição que ressalta ser pessoal, não de todo seu partido, que tem a vice-presidência da República e boa parte da articulação política do Planalto concentrada em Michel Temer – veio em meio à delação premiada de Julio Camargo, consultor da Toyo Setal, na Operação Lava Jata em que dizia que o deputado teria pedido a ele propina de US$ 5 milhões em contrato de navios-sonda da Petrobras (PETR3; PETR4).

PUBLICIDADE