Pedidos arquivados

Cunha diz que arquivará pedidos de impeachment contra presidente Dilma

Presidente da Câmara disse que pedido "não é a solução" e beira o "ilegal e o inconstitucional"; por outro lado, Cunha disse que falas de ministros após manifestação foram um "desastre"

SÃO PAULO – Segundo o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), os pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff que chegarem à Câmara dos Deputados serão arquivados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Cunha diz que não leu o pedido do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), mas avalia que o pedido “não é a solução” e beira o “ilegal e o inconstitucional”. 

“Efetivamente, da nossa parte, não tem guarida para poder dar seguimento até porque entendemos que esta não é a solução. Entendemos que temos um governo que foi legitimamente eleito e que, se aqueles que votaram neste governo se arrependeram de terem votado, isso faz parte do processo político. E não é dessa forma que vai resolver”,  afirmou.

PUBLICIDADE

Sobre as manifestações do último domingo, ele afirmou que elas devem ser debatidas e que “temos que buscar formas que ajudem o governo a se encontrar com aquilo que a sociedade deseja ver”. 

Cunha, por sua vez, chamou a declaração após as manifestações do ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, e do secretário-geral da Presidência, Miguel Rosseto, de um “desastre”.  “Não vi ninguém nas ruas pedir reforma política, vi pedir reforma de governo” e disse que “não viu ninguém nas ruas dizendo que o financiamento empresarial é o problema”.