Com criação de novos cargos, governo cria novas despesas de R$ 257 milhões por ano

Na última terça-feira, Câmara deu seu aval à criação de 3.090 cargos no Executivo; PSDB critica gastança fiscal

SÃO PAULO – Na última terça-feira (12), a Câmara aprovou a criação de 3.090 cargos no Executivo. Segundo estimativas do Ministério do Planejamento, quando todos os postos estiverem preenchidos, o gasto adicional será de pelo menos R$ 257 milhões por ano.

Além dos cargos da Abin (Agência Nacional de Inteligência) instituídos por medida provisória, que somam 440, foi criado mediante o projeto de lei um total de 2.650 postos, que representarão um gasto adicional de R$ 190 milhões por ano.

Os cargos e funções em comissão criados neste ano já são mais de 60 mil, de acordo com as contas do deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP). “Depois reclamam da taxa de juros, quando não se faz uma política fiscal séria de controle dos gastos públicos”, afirmou o tucano.

Mais despesas

PUBLICIDADE

De acordo com o governo, 2.400 novos cargos de analista técnico de políticas sociais irão atender as necessidades emergenciais do setor, ao passo que os outros 250 serão do quadro de pessoal da Superintendência de Seguros Privados (Susep), autarquia do Ministério da Fazenda.

José Aníbal, líder do PSDB na Câmara, também expôs sua crítica à postura do governo. Segundo as contas do tucano, as despesas do governo com pessoal subiram 61% entre 2003 e 2007, passando de R$ 79 bilhões para R$ 127 bilhões.