Cinco deputados renunciam aos cargos e deixam Conselho de Ética

Renúncia em massa aconteceu porque o Plenário contrariou as indicações do conselho, declarou Júlio Delgado

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Contrariados com a absolvição de seis parlamentares cuja cassação havia sido recomendada, cinco deputados renunciaram aos cargos desempenhados no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara.

São eles: Júlio Delgado (PSB-MG), Chico Alencar (Psol-RJ), Orlando Fantazzini (Psol -SP), Cezar Schirmer (PMDB-RS) e Benedito de Lira (PP-AL). Cabe citar que nove deputados haviam ameaçado renunciar. No entanto, após muito discussão com o presidente do conselho, o deputado Ricardo Izar (PTB-SP), três optaram por não sair.

Plenário contrariou as votações do conselho

A renúncia em massa aconteceu porque o Plenário contrariou as votações do conselho, que, além de ser um órgão técnico, “faz uma investigação profunda sobre as denúncias antes de votar um parecer”, comentou o deputado Júlio Delgado.

Aprenda a investir na bolsa

O episódio que levou os parlamentares a renunciarem aos seus cargos foi a absolvição de João Paulo Cunha (PT-SP). O político era acusado de envolvimento no esquema do mensalão por ter recebido R$ 50 mil de Marcos Valério. As informações são a Agência Brasil.