Impeachment

Câmara já derrubou o governo e não deve votar mais nada, diz Cunha

"Acho que não vai ser votado nenhum projeto do governo aqui, a não ser que seja para derrubar", disse o presidente da Câmara

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Já se passaram dois dias que a Câmara dos Deputados aprovou o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, mas Eduardo Cunha, presidente da Casa, ainda dá suas declarações sobre o assunto. Nesta terça-feira (19) ele afirmou que a “Câmara já derrubou o governo” e que isso leva a uma paralisia do Congresso agora.

Cunha defendeu que o rito adotado pelo Senado deve ser “o mais célere possível”. “Para o país, essa postergação vai causar muitos prejuízos. A Câmara derrubou o governo. O Senado ainda não confirmou isso”, disse o presidente da Câmara.

“Como vão ficar as relações? Semana que vem o governo não é reconhecido pela Casa. Semana que vem temos uma ainda presidente da República e ninguém vai reconhecer absolutamente nada. É uma paralisia do Congresso Nacional, até o Senado decidir”, afirmou Cunha em entrevista a jornalistas. “Eu digo que, politicamente, para a Câmara não tem governo. Ficou um meio governo“.

Aprenda a investir na bolsa

Ele admitiu que não será votado qualquer projeto enviado pelo governo Dilma, como o projeto que renegocia a dívida dos estados e do Distrito Federal, enviado ao Congresso em março. “Acho que não vai ser votado nenhum projeto do governo aqui, a não ser que seja para derrubar”, disse.

Cunha ainda disse que os deputados não devem participar de uma sessão do Congresso Nacional para apreciar alterações na meta fiscal de 2016. Caso ela não seja apreciada pelo Congresso até o dia 22 de maio, segundo integrantes da equipe econômica do governo, será preciso fazer um novo contingenciamento de gastos que vai paralisar a máquina pública, o chamado shutdown.