Atrito com o vizinho

Bolsonaro diz que não parabenizará Fernández e rebate defesa do argentino ao “Lula Livre”

“Lamento. Eu não tenho bola de cristal, mas eu acho que a Argentina escolheu mal”, disse o presidente brasileiro

Jair Bolsonaro
(Isac Nóbrega / PR)
Aprenda a investir na bolsa

O presidente Jair Bolsonaro lamentou nesta segunda-feira (28) a eleição de Alberto Fernández como presidente da Argentina e afirmou que não irá parabenizar o novo governante do país vizinho.

“Lamento. Eu não tenho bola de cristal, mas eu acho que a Argentina escolheu mal”, disse o brasileiro ao deixar os Emirados Árabes, onde estava desde sábado (26).

Bolsonaro ainda complementou: “não pretendo parabenizá-lo. Agora, não vamos nos indispor. Vamos esperar o tempo para ver qual é a posição real dele na política, porque ele vai assumir, vai tomar pé do que está acontecendo e vamos ver qual linha que ele vai adotar”.

Aprenda a investir na bolsa

O presidente brasileiro também disse que pretende manter relações bilaterais com a Argentina, mas que os vizinhos podem ser “afastados” do Mercosul se Fernández interferir no acordo do bloco com a União Europeia.

Já o presidente argentino Mauricio Macri reconheceu a vitória da oposição e felicitou ontem à noite o vencedor das eleições. Macri prometeu exercer “uma oposição saudável, construtiva e responsável” que “reafirme as conquistas alcançadas”.

Em discurso, Macri disse que deixa o governo com “um país com bases sólidas” que mudou “a cultura do poder”.

“Parabenizo o presidente eleito Alberto Fernández. Acabei de falar com ele pela grande eleição que fez. O convidei para tomar amanhã um café da manhã na Casa Rosada porque deve começar uma transição ordenada que leve tranquilidade aos argentinos”, apontou Macri.

Leia também:
• Eleições na Argentina: por que você deveria estar preocupado
• Após vitória de Fernández, BC argentino limita compras de dólares

 

PUBLICIDADE

Na sua primeira fala como presidente eleito, Fernández destacou ter aceitado o convite: “vamos colaborar em tudo o que possamos porque a única coisa que nos preocupa é que os argentinos deixem de sofrer de uma vez por todas”.

Vale destacar que, uma hora após sua vitória nas eleições, Fernández pediu que o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva seja libertado da prisão.

Fernandez disse a seus apoiadores em Buenos Aires que Lula foi preso injustamente. Embora ele tenha feito comentários semelhantes durante a campanha, a decisão de voltar a mencionar o assunto após as eleições abre um risco de atrito com o presidente Jair Bolsonaro.

O brasileiro também rebateu essa fala do presidente eleito da Argentina: “é um afronto à democracia brasileira e ao sistema judiciário brasileiro. Ele está afrontando o Brasil de graça”, afirmou Bolsonaro sobre o gesto de Fernandéz em apoio ao movimento Lula Livre.

Invista contando com a melhor assessoria do mercado: abra uma conta gratuita na XP.