Ainda não há necessidade de mudar a remuneração da poupança, diz Mantega

Para ministro, mesmo com a forte redução da Selic para 9,75% ao ano, a rentabilidade dos juros continua superior

SÃO PAULO – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, declarou que ainda não há necessidade de alterar o lastro da poupança, mesmo com o baixo patamar da taxa básica de juro atingido na última quarta-feira (7), de 9,75% ao ano.

Em um encontro com economistas e empresários do Iedi (Instituto de Estudos para o Desenvolvimento da Indústria), a autoridade disse que, apesar do atual ciclo de alívio monetário realizado pelo Banco Central, a rentabilidade da Selic ainda supera a da poupança.

“Não há necessidade, neste momento, de mexer nas regras da poupança”, disse Mantega. “A remuneração da Selic ainda é bem superior”, concluiu.

PUBLICIDADE

Decisão do Copom
Na quarta, o Copom (Comitê de Política Monetária) acelerou o passo do corte nos juros, que havia sido, nas últimas reuniões, de 0,5 ponto percentual, reduzindo a taxa em 0,75 p.p. No total deste ciclo, o BC já baixou a Selic em 275 pontos-base.

Logo após o movimento, alguns analistas já estimavam que os investidores de fundos lastreados em DI (depósitos interbancários), que têm a ver com a curva de juros futuros, migrariam para a poupança, prevendo maior remuneração.