Adesão da Venezuela ao Mercosul é discutida na Câmara

Câmara Venezuelana Brasileira de Comércio e Indústria se reuniu com Arlindo Chinaglia, para pedir agilidade no processo

SÃO PAULO – A aprovação do protocolo de adesão da Venezuela ao Mercosul foi tema de discussão entre os representantes da Câmara Venezuelana Brasileira de Comércio e Indústria e o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia. Eles foram pedir, nesta terça-feira (16), agilidade no processo de aprovação.

Conforme veiculou a Agência Câmara, o relator na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, deputado Dr. Rosinha (PT-PR), disse que há acordo para votação da matéria no próximo dia 24. O texto que pede a entrada da Venezuela no Mercosul passa primeiramente por essa comissão e, depois, segue para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania e o plenário.

Importância da inclusão

O deputado Dr. Rosinha também afirmou que menos de 1% dos empresários se opõe à entrada da Venezuela no Mercosul.

PUBLICIDADE

José Francisco Marcondes, presidente da Câmara Venezuelana Brasileira de Comércio e Indústria, ressaltou que a entrada da Venezuela no Mercosul vai facilitar o comércio entre os integrantes do mercado comum e o seu país, ao derrubar barreiras alfandegárias e contribuir para negociações e pagamentos.

Sem mágoas

Para o deputado e ex-presidente da Câmara, Aldo Rebelo, a inclusão dos venezuelanos precisa acontecer o mais rapidamente possível. Ele avaliou que os interesses comerciais entre os dois países são maiores do que as disputas políticas, referindo-se ao episódio do ultimato de Hugo Chávez dado ao Congresso Brasileiro para a aprovação da inclusão.