US$ 4 bilhões em criptos grátis foram distribuídas em 2024; veja como ganhar

Antes de participar, é preciso investigar bem o projeto, pois o mercado está repleto de golpes

Lucas Gabriel Marins

Publicidade

Os airdrops (eventos de distribuição gratuita de criptomoedas) já depositaram US$ 4 bilhões em ativos digitais para usuários em 2024, segundo dados compilados pelo portal The Block.

Diversifique investindo no Brasil e no exterior usando o mesmo App com o Investimento Global XP

Um airdrop é basicamente uma estratégia de marketing adotada por novos projetos do setor. O objetivo da “doação” de tokens é atrair novos interessados, gerar engajamento e criar liquidez para o ativo.

Continua depois da publicidade

Um dos maiores airdrops deste ano foi da Notcoin (NOT), uma cripto ligada a um jogo de mesmo nome baseado no serviço de mensagens instantâneas Telegram. A ação envolveu a distribuição de US$ 1 bilhão em moedas digitais.

Outro projeto tão grande quanto foi o Jupiter (JUP), criptoativo nativo de uma exchange descentralizada. O token, que foi listado em corretoras criptos conhecidas, como Binance e OKX, também movimentou US$ 1 bilhão em valores.

Próximos airdrops

O próximo airdrop aguardado pela indústria cripto será o da ZkSync (ZK), uma blockchain de segunda camada (sistema que ajuda a dar mais velocidade a outra rede) baseada no Ethereum (ETH). No total, 3,6 bilhões de tokens ZK serão distribuídos a partir da semana que vem.

Continua depois da publicidade

Especificamente nesse caso, o projeto já selecionou 695.232 carteiras para receber as criptos. São indivíduos, desenvolvedores, grupos e empresas que contribuíram de alguma forma com o ecossistema, seja ajudando no desevolvimento ou mesmo na educação.

Como encontrar airdrops e participar?

Plataformas como Coingecko e Binance costumam publicar calendários de airdrops futuros. Há também grupos no Telegram e outros aplicativos de conversa focados em divulgar distribuições gratuitas de criptomoedas.

Para participar, o usuário preciso ter uma carteira para receber o token que será compartilhado. Se a distribuição for feita via Ethereum, por exemplo, é preciso baixar a MetaMask e a Exodus, que são compatíveis com o sistema. No caso da Solana (SOL), a wallet Phantom é a recomendada.

Continua depois da publicidade

Na sequência, é necessário enviar o endereço da carteira para os responsáveis pelos airdrops. Cada um tem suas regras próprias. “A equipe do projeto comunica os detalhes e requisitos do airdrop através de seus canais oficiais ou comunidades de criptomoedas”, segundo material da corretora Coinbase. Por isso, é ideal que os interessados interajam com os donos via redes sociais e apps de conversa.

Riscos

Airdrops são bastante arriscados. Isso porque criminosos virtuais podem criar distribuições gratuitas falsas com mecanismos capazes de roubar criptos dos usuários e dados. Alguns também inflam o preço de um token para lucrar de forma idevida. Para não cair em golpes, segundo especialistas, é ideal pesquisar a fundo os projetos.

“Se você decidir se inscrever em um airdrop, é vital seguir as instruções fornecidas pela equipe de desenvolvimento antes de clicar em qualquer link. Isso pode ajudá-lo a evitar ser vítima de phishing ou hackeado por pessoas mal-intencionadas”, disse a empresa de serviços financeiros Fidelity em material publicado neste ano.