Renda fixa

Tesouro Direto: taxas operam em queda durante a tarde em dia de decisão do Copom

Investidores operam de olho em reunião do Copom, em busca de pistas sobre os próximos passos da política monetária

ações alta índices bolsa stock mercado
(Shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As taxas dos títulos públicos negociados via Tesouro Direto, que operaram sem uma direção clara na manhã desta quarta-feira, passaram a cair de maneira uniforme durante a tarde, poucas horas antes da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a nova taxa básica de juros.

A expectativa majoritária do mercado é que a autoridade monetária promova um novo corte de 0,75 ponto percentual, renovando a mínima histórica para 2,25% ao ano. (Leia mais aqui)

Entre os prefixados, o prêmio do título com vencimento em 2023 recuava de 4,20% a.a. para 4,15% a.a. O juro pago pelo mesmo papel com prazo em 2026, por sua vez, oferecia uma taxa de 6,26%, ante 6,34% na sessão passada.

Entre os títulos indexados à inflação, o prêmio do Tesouro IPCA+ 2026 estava em 2,66% há pouco, frente aos 2,69% do pregão anterior. Já a taxa do mesmo papel com vencimento em 2035, que ontem era negociada a 4,02%, hoje a tarde recuava para 4%.

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos ofertados nesta quarta-feira (17):

TD-17.6-tarde.jpg (683×629)

Embora a decisão do Copom já seja amplamente aguardada, os investidores devem ler com atenção o comunicado depois da reunião, pois ele poderá deixar a porta entreaberta ou fechada para novas reduções da taxa básica de juros.

Em uma manhã sem indicadores macroeconômicos relevantes, a atenção dos investidores no cenário doméstico se volta para novos capítulos da crise política.

Na noite de terça-feira, em suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não iria “assistir calado enquanto direitos são violados e ideias são perseguidas”, referindo-se à operação da Polícia Federal que atingiu seus aliados. Ele disse que, até o momento, nunca tomou uma medida que demonstrasse apreço ao autoritarismo.

A operação da PF foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que é o relator do inquérito das fake news.

Internacional

No fronte global, o pregão é de maior apetite por risco, com os investidores voltando a se animar com as perspectivas de reabertura das economias.

Ajudam no otimismo os dados de vendas no varejo dos Estados Unidos, que cresceram 17,7% em maio, ante uma expectativa de avanço de 8%, reflexo da injeção brutal de liquidez pelo banco central americano.

Apesar do clima mais ameno, especialistas seguem alertando quanto aos riscos que ainda existem pela frente. A economista-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), Gita Gopinath, afirmou ontem que a revisão das projeções de crescimento, prevista para este mês, deve mostrar taxas de crescimento negativas ainda piores do que as anteriormente estimadas.

O mercado também aguarda por novas declarações do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, que volta a falar nesta quarta-feira às 13h. Na terça, ele afirmou que a economia americana não estará completamente recuperada enquanto a população não for convencida de que a pandemia do coronavírus estiver sob controle. Já são mais de 8 milhões de contaminados em todo o mundo.

Invista na carreira mais promissora dos próximos 10 anos: aprenda a trabalhar no mercado financeiro em um curso gratuito do InfoMoney!