Renda fixa

Tesouro Direto: taxas dos títulos públicos têm alta nesta 4ª feira, com conta de luz mais cara, PIB abaixo do esperado e riscos fiscais

Taxas pagas pelos títulos prefixados voltam a bater 10,5%; investidores repercutem dados de emprego nos Estados Unidos

Por  Bruna Furlani -

SÃO PAULO – Em meio a dados de crescimento econômico abaixo do esperado e revisões para baixo nas projeções do PIB para este ano e o próximo, além de impasses fiscais e políticos, a maioria dos títulos públicos negociados na plataforma do Tesouro Direto disponíveis para compra operam com alta ou estabilidade nas taxas na tarde desta quarta-feira (1).

O juro pago pelo título com vencimento em 2031, por exemplo, recuou de 10,54%, no começo da manhã, para 10,50%, na atualização da tarde. Um dia antes, contudo, o mesmo título oferecia retorno de 10,43%. No mesmo horário, o prêmio do título prefixado com vencimento em 2026 era de 9,91%, mesmo valor visto no início das negociações, porém acima dos 9,84% vistos no dia anterior.

Já entre os papéis atrelados à inflação, o juro real oferecido pelo Tesouro IPCA+ com vencimento em 2055 e pagamento de juros semestrais era de 4,81%, acima dos 4,78% vistos um dia antes.

Confira os preços e as taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto oferecidas na tarde desta quarta-feira (1):

Taxas Tesouro Direto
Fonte: Tesouro Direto

PIB e conta de luz

A quarta-feira começou movimentada com a divulgação dos dados do PIB pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostraram queda de 0,1% no segundo trimestre de 2021 na comparação com o trimestre anterior. Em relação a igual período do ano passado, a economia brasileira avançou 12,4%.

O número ficou abaixo do esperado. A expectativa de economistas consultados pelo consenso Refinitiv era de alta de 0,2% da atividade brasileira na comparação com o primeiro trimestre e de 12,8%, na comparação anual.

Em valores correntes, o PIB, que é soma dos bens e serviços finais produzidos no país, chegou a R$ 2,1 trilhões. O resultado indica estabilidade e é verificado após três trimestres positivos e seguidos de crescimento do indicador.

Os números levaram algumas casas a revisar a projeções. Em relatório enviado a clientes, Alberto Ramos, diretor de pesquisa econômica para América Latina do Goldman Sachs, disse que levando em conta o retrato do segundo trimestre apresentado pelo PIB e revisões anteriores, o banco revisou para baixo a expectativa de avanço da economia brasileira neste ano de 5,4% para 4,9%.

Segundo o diretor, a revisão tem como base um cenário sem grandes limitações no fornecimento de energia, redução gradual dos entraves nas cadeias de fornecimento, reconstrução gradual de estoques e controle maior da crise sanitária no segundo semestre.

O mercado também monitora a piora da situação hídrica no país. Ontem (31), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o Ministério de Minas e Energia anunciaram a criação de uma nova bandeira tarifária chamada de bandeira de escassez hídrica. Com ela, a cobrança extra passará para R$ 14,20, a partir deste setembro.

O valor é aplicado a cada 100 quilowatts-hora consumidos (kWh), e valerá entre setembro deste ano e abril de 2022. A cobrança anterior, da bandeira vermelha patamar 2, era de R$ 9,49, o que mostra uma alta de 49,63%. A Aneel estima que o impacto final na conta de luz será de 6,78%.

Com a conta de luz mais cara, especialistas elevaram as projeções para a inflação neste ano. O Bank of America, por exemplo, revisou a estimativa de inflação de 7% para 7,75%, citando os preços mais altos da energia como o principal fator para a decisão.

A XP também elevou as expectativas para a inflação oficial, de 7,3% para 7,7%, em 2021. Em relatório, a equipe de análise da casa disse que a nova bandeira tem impacto de 0,31 ponto no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Também na terça, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou em conversa com apoiadores que o governo irá “começar a trabalhar” no preço dos combustíveis, um outro fator que vem pressionando a inflação. Mas não adiantou o que pode ser feito além de cobrar, mais uma vez, mudanças no ICMS.

Cena política

Na cena política, destaque para a possível votação do texto da reforma do IR. Segundo o jornal Valor Econômico, Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados, avisou a líderes partidários que pretende fazer a votação ainda hoje. Mas o martelo ainda não foi batido porque os partidos estão reunidos discutindo a matéria.

Atenção também para o parecer da Proposta de Emenda à Constituição que trata da reforma administrativa (PEC 32/2020), protocolado na véspera. O texto foi lido hoje na comissão especial que discute o assunto na Câmara dos Deputados, mas só deve ser votado no colegiado daqui a duas semanas.

O relator fez uma série de modificações na proposta original, encaminhada pelo governo federal no ano passado. Dentre elas está a manutenção do direito à estabilidade a todos os servidores públicos – inclusive os futuros entrantes após o vigor das novas regras.

Ele também retirou do texto o chamado vínculo de experiência, considerado um dos pontos mais polêmicos da PEC encaminhada pelo governo federal.

Também ontem, o governo federal encaminhou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2022. Como ainda não foi encontrada uma saída para parcelar os precatórios (dívidas judiciais por decisões definitivas), o texto incluiu a totalidade dos R$ 89,1 bilhões de despesas previstas pelo Poder Judiciário.

A proposta encaminhada pelo governo também prevê que o Auxílio Brasil (novo programa que deve substituir o Bolsa Família) tenha o mesmo nível de recursos previstos para o antigo programa em 2021, que foi estimado em R$ 34,7 bilhões. O texto enviado inclui ainda que o salário mínimo vá para R$ 1.169 em 2022.

Cenário externo

Já na cena internacional, o destaque do dia está na reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, incluindo a Rússia, que formam o grupo conhecido como Opep+, às 12h (horário de Brasília). O grupo manteve o avanço mensal na oferta de 400 mil barris por dia.

Investidores repercutem também a criação de 374 mil vagas no setor privado em agosto nos Estados Unidos, segundo o Relatório de Emprego ADP. O número ficou abaixo do esperado, uma vez que o ressurgimento da Covid-19 coincidiu com cortes nas contratações, de acordo com o relatório  da empresa de serviços de folha de pagamentos.

A mediana das projeções dos economistas compilada pela Refinitiv apontava para criação de 613 mil novos postos de trabalho. O dado de julho foi revisado levemente para baixo, passando de 330 mil para 326 mil.

Ainda no radar econômico, foi divulgado hoje o Índice do Gerente de Compras (PMI em inglês) industrial relativo a agosto da Zona do Euro, que marcou 60,4 pontos, abaixo da expectativa de analistas, de 61,5 pontos, e do patamar anterior, de 62,8 pontos.

Para entender como operar na bolsa através da análise técnica, inscreva-se no curso gratuito A Hora da Ação, com André Moraes.

Compartilhe