Renda fixa

Tesouro Direto: taxas de títulos públicos recuam nesta terça-feira

Volume do setor de serviços recuou 0,1% em novembro ante outubro, interrompendo dois meses de alta do setor

arrow_forwardMais sobre
(Shutterstock)

SÃO PAULO – Os títulos públicos negociados no Tesouro Direto, programa que possibilita a compra e venda de papéis por investidores pessoas físicas por meio da internet, fecharam o pregão desta terça-feira (14) em queda.

Entre os indicadores divulgados, o volume do setor de serviços teve um recuo de 0,1% em novembro de 2019 ante outubro. O resultado, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), interrompe dois meses de alta do setor, de 1,5% em setembro e de 0,8% em outubro.

Na comparação com o mesmo período de 2018, os serviços cresceram 1,8%, abaixo dos 2% projetados pelo consenso Bloomberg.

No ambiente internacional, o clima foi de otimismo com a assinatura da primeira fase do acordo comercial entre China e Estados Unidos, prevista para a próxima quarta-feira (15). No entanto, pesou sobre os mercados notícias de que os Estados Unidos não irão cortar as tarifas contra produtos chineses antes das eleições presidenciais.

Leia também:
Os 5 erros mais cometidos por investidores no mercado financeiro
Participe do Onde Investir 2020 e veja as recomendações de alguns dos maiores especialistas do país

No Tesouro Direto, o título indexado à inflação com vencimento em 2024 oferecia um prêmio anual de 2,39%, ante 2,44% ao ano na abertura do dia. O investidor podia aplicar uma quantia mínima de R$ 59,16 (recebendo uma rentabilidade proporcional à aplicação), ou adquirir o título integralmente por R$ 2.958,36.

Os papéis com prazos em 2035 e 2045, por sua vez, pagavam a inflação mais 3,41% ao ano, ante 3,44% a.a. anteriormente.

Entre os prefixados, o título com vencimento em 2025 pagava 6,35%, ante 6,45% ao ano mais cedo. Já o retorno do Tesouro Prefixado com juros semestrais 2029 cedia de 6,84% para 6,75% ao ano.

Confira, a seguir, os preços e as taxas dos títulos disponíveis no Tesouro Direto:

Fonte: Tesouro Direto

Saia da poupança e faça seu dinheiro render mais: abra uma conta gratuita na Rico

Baixo risco, liquidez e acessibilidade

O Tesouro Direto é considerado a opção de investimento com o menor risco no Brasil e com ampla acessibilidade, dado o investimento mínimo a partir de R$ 30. Outra vantagem do programa diz respeito à liquidez, com a possibilidade de recompra diária dos títulos públicos pelo Tesouro.

O investidor pode aplicar em títulos públicos diretamente pelo site do Tesouro, se cadastrando primeiro no portal e abrindo uma conta em uma corretora, como a Rico Investimentos, por exemplo, para intermediar as transações. Atualmente, a maior parte das instituições financeiras habilitadas a operar no programa não cobra taxa de administração.

O único custo obrigatório que recai sobre o investimento em títulos públicos pelo Tesouro Direto corresponde à taxa de custódia, de 0,25% ao ano sobre o valor dos títulos, cobrada semestralmente no início dos meses de janeiro e de julho.

Entenda tudo sobre Tesouro Direto neste guia completo:

Guias InfoMoney

Tesouro Direto  Tesouro Direto